5 dicas de como uma mulher pode lidar de forma leve com a vida multitarefas

*Por Sidneia Freitas 

Nos dias de hoje, mesmo os homens desempenhando uma quantidade maior de tarefas domésticas, a mulher ainda é mais exigida nesses múltiplos contextos como: trabalhar fora de casa e corresponder todas as demandas relativas ao ambiente de trabalho, suprir todos os aspectos relacionados a manter a rotina da casa, acompanhar as lições e educação dos filhos, entre outras atividades. 
Existe socialmente uma ideia implícita de que a mulher não é obrigada a ser multitarefa, mas é cobrada a todo instante com relação a isso. Uma pesquisa da Universidade do Estado do Michigan, nos Estados Unidos, revelou que a mulher trabalha cerca de 10 horas a mais que os homens no que diz respeito ao trabalho relacionado à casa e aos filhos. 
Essa mesma pesquisa avaliou que as mulheres se envolvem geralmente em duas tarefas ao mesmo tempo com o alto grau de responsabilidade similar, contudo os homens nem sempre abraçam duas tarefas e quando o fazem, uma delas está relacionada a si mesmo, ou seja, sem o mesmo grau de exigência e essa divisão tem um peso bem menor comparado à tensão envolvida nas atividades femininas, que têm caráter mais estressante, trazendo à tona uma variedade de sentimentos negativos. De que forma podemos pensar ou colaborar para o desenvolvimento de sentimentos relacionados ao bem-estar e prazer vivenciados pelas mulheres? Esses sentimentos mais positivos são de extrema importância para as vivências cotidianas dos indivíduos, além disso, várias pesquisas relacionam esses sentimentos com melhores resultados na saúde, interferindo nos níveis de pressão arterial, colesterol, entre outros. Podemos pensar em algumas formas de ativar e impulsionar o bem-estar em nosso cotidiano e perceber que a vida tem um propósito, um sentido, a sensação que você está usando seus talentos e suas capacidades para avançar na vida, em busca de seus objetivos a fim de alcançar a auto realização. 

 Veja 5 dicas de como preservar o bem-estar dentro da rotina atribulada:

 • Avaliar: ao analisar as vivências diárias, perceba um bom manejo com as exigências e demandas que a vida impõe, pois isso colabora para o desenvolvimento de sentimentos de bem-estar e capacidade.

 • Relacionamentos: construir relações interpessoais mais positivas, ou seja, seja menos crítica consigo e com as falhas de outras pessoas, faça uso de gentilezas, mesmo em situações que provoquem irritação, controle esse impulso e não responda ou reaja de forma hostil.

 • Limites: aceite as impossibilidades, os limites, trabalhe a auto aceitação e valorize suas competências e qualidades. 

 • Cultive bons sentimentos: prefira perdoar e superar ao invés de guardar mágoas, tenha mais espaços para pensamentos positivos que gerem otimismo, desenvolva o bom humor, não deixe que aborrecimentos pequenos te absorvam de maneira demasiada. 

 • Rotina: é importante uma conversa com o parceiro de vida para reorganizar os pontos divergentes de tempo em tempo, esses combinados têm a tendência de se dissolverem com o passar dos dias, verificar as tarefas e as responsabilidades de cada um, repensar os pesos atribuídos e redistribuí-los, tome cuidado para não tentar controlar demais as atuações do parceiro, caso desempenhe algo que poderia ser melhor ou não faz igual a você, com o mesmo capricho, faça o possível para não criticar. Explorar melhor essas boas emoções é um dos caminhos que temos para sermos capazes de lidar com as adversidades e dificuldades que aparecem, agindo de maneira mais congruente e assertiva. Afinal, ser mulher não é uma tarefa fácil. 

 *Sidneia Freitas é psicóloga, neuropsicóloga e sócia-fundadora da Clínica Sintropia



Comentários