C&A investe em produtos mais sustentáveis para as linhas infantil


Ultimamente várias empresas se preocupam com o impacto ambiental. A C&A, maior rede de varejo de moda do País, é uma delas, pois investe continuamente para ter produtos mais sustentáveis. Por isso, a fast-fashion vai ampliar nas lojas físicas e em breve no e-commerce suas linhas baby e infantil confeccionadas com algodão mais sustentável - que, dentre outros atributos, não utiliza agrotóxicos e usa menos água em seu cultivo. 

Entre as peças dessa linha, que poderá ser identificada por uma etiqueta diferenciada, estão bodies, tops básicos, leggings, polos e conjuntos para meninos e meninas. Os modelos oferecem tamanhos desde recém-nascido até os 12 anos e os preços variam de R$ 17,90 a R$ 49,90. 

"Estamos ampliando a disponibilidade de produtos que utilizam o algodão mais sustentável. O produto tem uma excelente aceitação de mercado e entendemos que nossos clientes estão cada vez mais preocupados com o consumo consciente", afirma Claudia Albuquerque, diretora de Compras e Produtos da C&A. 

Os produtos infantis da rede também seguem o manual de segurança mecânica, desde 2008, inspirado nas regras europeias. Esse manual regula, por exemplo, o uso de glitter, ímãs, LEDs e tecidos que imitem peles de animais nas peças para esse público. Borracha natural e látex, que podem entrar em contato direto com a pele das crianças, também estão na lista de itens não permitidos.

Para fazer valer essas regras, a empresa realiza diversos testes com as roupas em um dos seus centros de distribuição, para avaliar os riscos gerados por correntes, fitas ou cordões de puxar que possam causar enforcamento; enfeites e acessórios, cintos, lantejoulas, velcros, zíperes e demais fechos, entre outros materiais que possam ser ingeridos e causar asfixia. 









A coleção está disponível em todas as lojas da rede e também podem ser adquiridas no e-commerce www.cea.com.br

Facebook: www.facebook.com/ceabrasil
Twitter: @cea_brasil
Instagram: cea_brasil
YouTube: www.youtube.com/cea
Blog: www.blogvista.com.br


Comentários