Pular para o conteúdo principal

Conheça um pouco mais sobre Kelly Hamiso, autora de Padma

Fernanda Santiago

O livro Padma, da escritora Kelly Hamiso conta a história de Jéssica, uma adolescente de 17 anos, linda, herdeira de uma grande fortuna de família e que faz muito sucesso como modelo fotográfica em Nova York. Ela perdeu o seu pai aos 12 anos, vítima de um assassinato. E por motivo de segurança, sua mãe a mandou para Nova York quando ainda tinha essa idade. Quem cuida dela nesta fase é o chofer da família. Ele, por conta própria acaba direcionando a vida de Jéssica do jeito dele. Ele toma todas as decisões de sua vida. Até que Jéssica resolve visitar a mãe e a avó em São Paulo. Jéssica e sua mãe não têm uma relação muito boa e Jéssica decide ficar alguns dias na casa da avó. E é a partir daí que ocorre todo o clímax da história.
Jéssica conhece novos amigos, se apaixona por Beto, um rapaz totalmente fora dos padrões da sua realidade e descobre que Sérgio, o seu chofer a manipula o tempo todo porque é apaixonado por ela. Ele tem um ciúme obsessivo por Jéssica, mas a avó e os amigos ajudam que ela fuja das garras dele.
A partir desse novo mundo de relacionamentos e liberdade, Jéssica começa a ter uma vida própria. Presa a um sonho, sua missão é descobrir segredos do passado e ensinar o perdão. Um anjo do bem: Gabriel, e um anjo do mal chamado Arimã, estão o tempo todo visitando a consciência de Jéssica e Beto. O amor de Jéssica por Beto é totalmente altruísta, puro, e ela faz de tudo para protegê-lo sempre. Sua amiga Sheila a ajuda nas decifrações de seus sonhos, encaixando todas as peças do passado.
Ao ler o livro, senti raiva em algumas ocasiões. É o tempo todo questionar: Menina, você tem um futuro pela frente! Não merece esse tipo de cara! Pra tomar decisões assim, só pode ser um anjo!
Mas aos poucos vamos entendendo o significado de Padma. Quem vence? O amor ou o poder? A leitura do livro é maravilhosa. Em cada capítulo algo novo aparece. Não dá vontade de parar de ler. E no fim, dar a entender que essa história ainda continua... Indico 1000 vezes, não só para os jovens, mas para todos que amam uma boa leitura. A autora está de Parabéns! Agora, confira um ping-pong com a autora:

Kelly Hamiso nasceu na capital de São Paulo em 7 de setembro de 1978. Desde os treze anis (apesar de achar que foi muito antes disso) adora escrever, criar histórias e personagens, sempre compartilhando suas aventuras e seus amigos imaginários com sua melhor amiga Sheila. Cursou Letras na UNIOFIEO, casou-se aos vinte e três anos e tem um filho, com quem também divide as suas histórias:

Sonhar e Planejar: Quanto tempo demorou para escrever o livro?
Kelly Hamiso: O livro foi escrito em seis meses. Mas a história original foi escrita quando eu tinha 13 anos. Depois, reescrevi com 17 e, em 2013, fiz a última adaptação.

Sonhar e Planejar: A personagem Sheila foi uma homenagem a sua melhor amiga da vida real?
Kelly Hamiso: Com certeza. A Sheila foi minha amiga de infância, de adolescência e é minha amiga hoje. Moramos longe uma da outra, mas é a minha eterna melhor amiga.

Sonhar e Planejar: Você acredita em alguma religião? Se sim, qual?
Kelly Hamiso: Fui criada na religião espírita e católica simultaneamente. Eu frequentava as duas assiduamente. Hoje não sigo nenhuma. Eu estudo as religiões e gosto de tirar o melhor de cada uma. Acredito que todas têm muito a nos ensinar, mas não as considero completas. Acredito em Deus, no bem, em anjos, na harmonia com a natureza e em energias positivas.

Sonhar e Planejar: Senti que o objetivo do personagem Beto era evoluir espiritualmente. Você pretende dar continuidade a história?
Kelly Hamiso: Não. Padma tem uma continuação, mas vou escrever sobre a filha do casal.

Sonhar e Planejar: Na minha interpretação, senti Jéssica como um anjo. Você também?
R. Gostei dessa pergunta. Pra ser bem sincera, você é a primeira pessoa que afirma isso e essa era a minha verdadeira intenção. Eu queria criar uma "linhagem" de anjos, mas não aqueles criados por Deus, mas feito de pessoas tão puras e boas que voltam quase como anjos para ajudar outras pessoas. 

Sonhar e Planejar: Acredita em batalhas espirituais na vida real?
Kelly Hamiso: Não. Eu acredito no sentimento de bem e mal que existe em cada um de nós e eu os materializei em anjos. Na verdade, o Gabriel e o Arimã são os dois pesos na consciência dos personagens, os dois caminhos a seguir. Isso está bem claro quando Sheila vai até a Igreja e fala com Arimã. Ela acredita que naquele templo, ela fortificará o bem que existe nela. Na verdade, ela sente dúvida e é quando o lado mal fala aos ouvidos.

Sonhar e Planejar: Toparia transformar essa história num filme?
Kelly Hamiso: Sim. Sem dúvida nenhuma.

Sonhar e Planejar: O seu foco é escrever para jovens ou pretende escrever para outros públicos?
Kelly Hamiso: Gosto de escrever para jovens, mas estou com um projeto de escrever um livro infantil com meu filho Isaac.

Sonhar e Planejar: Você escreve desde menina. Também escreve poesias? 
Kelly Hamiso: Olha, já tentei muitas vezes, mas não consigo gostar do que escrevo.

Sonhar e Planejar: Como você chegou a fazer parte dos Novos Talentos da Literatura Brasileira?
Kelly Hamiso: Depois de alguns "não" de outras editoras, houve dois "sim" e um deles foi da Editora Novo Século pelo selo Talentos da Literatura Brasileira. Eles me responderam dois dias após o envio do original. Marcamos uma reunião e assinamos contrato


Para saber mais da autora, só conferir o site: www.kellyhamiso.com.br



Título: Padma
Autora: Kelly Hamiso
Editora: Novo Século
Páginas: 511
Ano: 2014
Gênero: Ficção

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















Resenha: Contos de enganar a morte , de Ricardo Azevedo, 1ª edição - 2003.

Por Thiago Grass
Pode-se dizer que o folclore é uma força em constante movimento, uma fala, um símbolo, uma linguagem que o uso torna coletiva. Por meio dele, as pessoas dizem e querem dizer. E a dica de leitura bebe justamente dessa fonte da cultura popular. No livro “Contos de enganar a morte”, o escritor Ricardo Azevedo explora esse tema tão delicado de forma leve e criativa. O próprio autor menciona na obra:
Trata-se de um grave erro considerar a morte um assunto proibido ou inadequado para crianças. Heróis nacionais como Ayrton Senna, presidentes da república e políticos importantes, artistas populares, parentes, amigos, vizinhos e até animais domésticos infelizmente podem morrer e morrem mesmo. A morte é indisfarçável, implacável e faz parte da vida (AZEVEDO, 2003, p.58).
Portanto, o livro reúne quatro narrativas sobre a “hora de abotoar o paletó”, “entregar a rapadura”, “bater as botas”, “esticar as canelas”. Nesses contos, os personagens se defrontam com a morte, contudo, ninguém …

Roberto Carlos, O contador de Histórias

Fernanda Santiago
O contador de Histórias – Se você ainda não assistiu ao filme, recomendo que coloque na sua lista. Sabe aquelas histórias envolventes e reflexivas? Será que vale a pena investir numa pessoa que todo mundo diz que não tem jeito? Esta história verídica diz que sim. O filme conta a história de Roberto Carlos, um menino que teve sua primeira infância na Febem, devido a ignorância da sua mãe, mostrando o que a falta de educação e instrução faz com a sociedade. Para o sistema, Roberto Carlos era mais um “delinquente”, mas a condição de vida dele começou a mudar quando surgiu na Feben, uma educadora francesa que assumiu um papel maravilhoso na sua vida: o aceitou, o educou, o instruiu e acima de tudo, ensinou na prática que o amor é um longo exercício de paciência. Faz tempo que assisti ao filme, mas recentemente encontrei uma palestra do próprio Roberto Carlos no YouTube. Fiquei encantada. Hoje, é ele quem assume o papel de educador. Além disso, ele faz com outras crianças o…