Pular para o conteúdo principal

Novo livro de Felipe Daiello aborda os caminhos do dinheiro e os ciclos de poder



Obra traz discussões sobre a alternância da hegemonia mundial e a evolução do conhecimento humano


O livro “As Rodas da Fortuna – Parte II”, do escritor gaúcho Felipe Daiello, que será lançado no dia 30 de abril, às 17h30, na livraria Cameron, do Shopping Bourbon Wallig, fala sobre a alternância da hegemonia mundial, dos jogos políticos, das ideologias e a evolução do conhecimento humano. O texto, envolvente e crítico, além de tratar novelas históricas, traz a cena para os dias atuais ao abordar o pesadelo Petrobras, e apresenta ao longo de séculos o caminho do dinheiro e dos ciclos de poder. A obra é o 11º trabalho do escritor e completa uma trilogia, que conta com os títulos “Enfrentando os tubarões” e “As Rodas da Fortuna – Parte I”, este último lançado em maio de 2015.
Daiello, que também é engenheiro, cientista político e professor, alerta em seu mais recente trabalho, para o fato de que muitos dirigentes e políticos, por decisões erradas e/ou ideologias fanáticas, tentam travar As Rodas da Fortuna. Além disso, ainda descreve como causas do retrocesso no desenvolvimento, a má gestão de alguns administradores públicos e a corrupção.
O texto, sempre amparado em fatos históricos do passado e contemporâneos, começa a pesquisa em 4 mil anos antes de Cristo, descritos durante o primeiro e segundo livros da trilogia, e se encerra com referências a 3 mil anos depois de Cristo, em uma prospecção futurista. O último volume da série também é editado pela AGE, tem 12 capítulos, distribuídos em 302 páginas e conta com o prefácio do escritor e pensador, Percival Pugina.

Serviço:
O quê? Lançamento do livro As Rodas da Fortuna – Parte II
Quem? Autor Felipe Daiello
Quando? Sábado, 30 de abril, às 17h30
Onde? Livraria Cameron, Shopping Bourbon Wallig, Porto Alegre


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















Poema da Maturidade

Por Luiz Augusto
Ser poeta! É ser romântico. É ser lírico. É estado de espírito. É versificar! É deixar sua alma falar através de um simples olhar. É aprender as lições ensinadas pela vida, repleta de emoções. É a Deus agradecer; pois é Ele que inspira ao poeta a escrever. Ser poeta é no firmamento encontrar a constelação da virtude na galáxia da plenitude, que ofusca a falsidade para a realidade brilhar. Que nubla a violência e faz a existência reinar. É projetar no horizonte da liberdade a igualdade com a luz da fraternidade. É refletir na pujante mocidade centelhas de tenacidade e lampejos de prosperidade. É, com bondade no coração praticar e ensinar a perdoar, gerando espaços para o amor habitar. É reluzir com altruísmo e aos idosos acariciar para que, radiantes de alegria, cheguem a sorrir...chorar... É faze-los enxergar que as rugas esculpidas e delineadas pelo tempo; que os cabelos brancos ou cinzentos não retratam o envelhecimento. Sim; maior discernimento. É com maestria edif…

Dez Comportamentos que destroem os melhores casamentos

Por Fernanda Santiago
Casamentos que parecem não ter mais jeito, onde os cônjuges não se respeitam e até que abusam fisicamente um do outro são assuntos abordados no livro Castelo de Cartas, de Gary Chapman. Autor de outros livros como “As cinco linguagens do amor”, “Agora você está falando a minha linguagem“, “A essência das cinco linguagens do amor”, entre outros... Gary explica em Castelo de Cartas as experiências de casais que estavam com os seus casamentos totalmente destruídos pela falta de comunicação, falta de tempo e principalmente falta de respeito, mas que através de conselho e análise pastoral na vida de cada um, pode descobrir o problema e ajudá-los a serem felizes, e principalmente, restaurados pela mudança. O livro relata em todo o momento que devemos abandonar os mitos, aqueles que dizem que o ambiente determina o nosso estado mental. Um exemplo, será que eu não terei jeito se nasci num ambiente violento, ou o qual meus pais fumavam, me abusaram ou me rejeitaram? Ao cont…