Pular para o conteúdo principal

O Teatro na Literatura é tema de episódio da série “Super Libris”



A questão é analisada pela dramaturga Renata Pallottini, no dia 25/7, segunda, às 21h, no SescTV
Foto: Piu Dip.

A série Super Libris apresenta o episódio Teatro é Literatura?, com a dramaturga e tradutora Renata Pallottini, que discute se o teatro faz parte da literatura. Com direção do escritor, cineasta e jornalista José Roberto Torero, o programa será exibido no dia 25/7, segunda, às 21h, e pode ser assistido também em sesctv.org.br/avivo.
Renata diz que as peças teatrais estão inseridas na literatura mundial e conceitua o que pensa sobre essa arte. “Teatro é uma forma de literatura escrita, que promove um ponto de partida, um roteiro inicial” comenta. Ela expõe que no teatro, o ator pode inventar e movimentar o roteiro inicial e que algumas peças são boas para serem lidas, como as do dramaturgo William Shakespeare e as tragédias gregas, e outras dependem de encenação, do espetáculo e da presença dos atores, como é o caso das peças do dramaturgo alemão Bertholt Brecht.
Segundo Renata, muitos autores não pensavam que suas peças se tornariam literatura, mas, com o passar do tempo, diversos deles notaram que poderiam ter suas obras “eternizadas” em livros, resultando em literatura. “Eles começaram a perceber, inclusive, que poderiam ser transformadas em documentos de uma evolução do teatro”, afirma. A dramaturga conclui dizendo que não há efemeridade no teatro. “Morre o espetáculo, mas não morre o texto”.
 Renata participa ainda dos quadros Pé de Página, no qual responde sobre onde, como e porque escreve, e do Primeira Impressão, em que sugere o livro Hamlet, de William Shakespeare. O episódio traz também os quadros: Orelhas, sobre o dramaturgo Dario Fo, da Itália, e William Shakespeare, da Inglaterra; Prefácio, com a documentarista e jornalista Gabriela Romeu, que indica as obras de Karen Acioly; Quarta Capa, com a vogler Juliana Gervason, do blog O Batom de Clarice, que comenta sobre o livro O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna; e Ptolomeus, com a diretora de teatro Lígia Cortez, que fala sobre a Biblioteca Raul Cortez, localizada na capital paulista, especializada em teatro e na literatura teatral.

Portal
Super Libris conta com um portal na internet, o superlibris.sesctv.org.br, que disponibiliza todos os episódios da série; as 52 entrevistas com autores; e todos os quadros, já editados separadamente para facilitar a consulta.

Sobre a série Super Libris:
Com o objetivo de mergulhar no mundo da literatura, a série, formada por 52 episódios de 26 minutos cada, entrevista 52 escritores e apresenta curiosidades presentes no processo de criação de livros. Cada programa é formado por pequenos quadros com diversos assuntos relativos ao universo literário, e traz narração do ator José Rubens Xaxá. Entre os escritores entrevistados estão Ruy Castro, Luis Fernando Verissimo, Ruth Rocha, Ignácio de Loyola Brandão, Ferréz, Antonio Prata, Thalita Rebouças e Xico Sá.

Sobre o SescTV:
SescTV é um canal de difusão cultural do Sesc em São Paulo, distribuído gratuitamente, que tem como missão ampliar a ação do Sesc para todo o Brasil. Sua grade de programação é permeada por espetáculos, documentários, filmes e entrevistas. As atrações apresentam shows gravados ao vivo com artistas da música e da dança. Documentários sobre artes visuais, teatro e sociedade abordam nomes, fatos e ideias da cultura brasileira. Ciclos temáticos de filmes e programas de entrevistas sobre literatura, cinema e outras artes também estão presentes na programação.

SERVIÇO:

Super Libris
Teatro é Literatura?
Estreia: 25/7, segunda, às 21h
Reapresentações: 26/7, terça, às 9h e às 17h; 28/7, quinta, às 15h; 29/7, sexta, às 9h30 e às 17h30, 31/7, domingo, às 6h
Classificação indicativa: Livre
Direção Geral: José Roberto Torero
Produção: Padaria de Textos
Duração: 27’26’’

Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/aovivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv
E no facebook: https: facebook.com/sesctv

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terminou a folia!

Terminou a folia;  não tirei a fantasia;  só transmito alegria; nada de melancolia. Sou Palhaço! Meus nervos são de aço. com meus versos,  meus sentimentos disfarço.  Sou Palhaço! Com nariz avermelhado; sapato pontiagudo; roupa colorida: No picadeiro,  a platéia alegro;  não iludo - convenço. Assim, conduzo a vida sem perder o compasso... Sou Palhaço! Sou Palhaço! 
13/02/2018 Luiz Augusto da Silva Olimpia - São Paulo

Os benefícios da caminhada

Fernanda Santiago
Existem inúmeras atividades físicas, mas a caminhada tem a menor taxa de abandono de todos eles. É simples e a mudança positiva que você pode fazer para efetivamente melhorar sua saúde cardíaca. Praticar a caminhada por pelo menos 30 minutos por dia pode ajudá-lo: Reduzir o risco de doença cardíaca coronáriaMelhorar a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangueMelhorar o perfil lipídico no sangueManter o peso corporal e diminuir o risco de obesidadeMelhorar o bem estar mentalReduzir o risco de osteoporoseReduzir o risco de câncer de mama e de cólonReduzir o risco de não insulino-dependente (tipo 2) diabetes

São muitos benefícios para uma atividade tão simples. Se você mora perto da praia, melhor ainda. Se não tem uma praia próxima, procure um parque.  Caminhe, respire fundo e aprecie tudo ao redor. O corpo agradece!

A tradicional sopa de cebola francesa

Fernanda Santiago Valente Quem é que não gosta de uma sopa no tempo frio? Aqui no Brasil, muitos recomendam a sopa de cebola para quem está com dor de garganta ou gripado. Eu vou além. Amo todos os tipos de cremes e sopas, mas a de cebola tem um sabor especial. A sopa tradicional da cozinha parisiense merece toda a atenção.Algumas lendas da França afirmam que a sopa de cebola foi inventada por Louis XV, quando passavam por uma crise. Ele só tinha cebolas, manteiga e champanhe como alimentos, assim como toda a população de baixa renda. A receita ganhou novos temperos ao decorrer dos anos e conseguiu conquistar todo o mundo, principalmente nós brasileiros, pois amamos nos deliciar com uma sopinha nos períodos frios, não é mesmo? Ainda nas tradições parisienses, a sopa serve para alimentar também as emoções do dia do tão sonhado casamento. Eles tem o hábito de consumir a sopa após a festa. Isso se repete também em grandes eventos. Se por acaso acordarem de ressaca, também consomem a sopa,…