Pular para o conteúdo principal

O Teatro na Literatura é tema de episódio da série “Super Libris”



A questão é analisada pela dramaturga Renata Pallottini, no dia 25/7, segunda, às 21h, no SescTV
Foto: Piu Dip.

A série Super Libris apresenta o episódio Teatro é Literatura?, com a dramaturga e tradutora Renata Pallottini, que discute se o teatro faz parte da literatura. Com direção do escritor, cineasta e jornalista José Roberto Torero, o programa será exibido no dia 25/7, segunda, às 21h, e pode ser assistido também em sesctv.org.br/avivo.
Renata diz que as peças teatrais estão inseridas na literatura mundial e conceitua o que pensa sobre essa arte. “Teatro é uma forma de literatura escrita, que promove um ponto de partida, um roteiro inicial” comenta. Ela expõe que no teatro, o ator pode inventar e movimentar o roteiro inicial e que algumas peças são boas para serem lidas, como as do dramaturgo William Shakespeare e as tragédias gregas, e outras dependem de encenação, do espetáculo e da presença dos atores, como é o caso das peças do dramaturgo alemão Bertholt Brecht.
Segundo Renata, muitos autores não pensavam que suas peças se tornariam literatura, mas, com o passar do tempo, diversos deles notaram que poderiam ter suas obras “eternizadas” em livros, resultando em literatura. “Eles começaram a perceber, inclusive, que poderiam ser transformadas em documentos de uma evolução do teatro”, afirma. A dramaturga conclui dizendo que não há efemeridade no teatro. “Morre o espetáculo, mas não morre o texto”.
 Renata participa ainda dos quadros Pé de Página, no qual responde sobre onde, como e porque escreve, e do Primeira Impressão, em que sugere o livro Hamlet, de William Shakespeare. O episódio traz também os quadros: Orelhas, sobre o dramaturgo Dario Fo, da Itália, e William Shakespeare, da Inglaterra; Prefácio, com a documentarista e jornalista Gabriela Romeu, que indica as obras de Karen Acioly; Quarta Capa, com a vogler Juliana Gervason, do blog O Batom de Clarice, que comenta sobre o livro O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna; e Ptolomeus, com a diretora de teatro Lígia Cortez, que fala sobre a Biblioteca Raul Cortez, localizada na capital paulista, especializada em teatro e na literatura teatral.

Portal
Super Libris conta com um portal na internet, o superlibris.sesctv.org.br, que disponibiliza todos os episódios da série; as 52 entrevistas com autores; e todos os quadros, já editados separadamente para facilitar a consulta.

Sobre a série Super Libris:
Com o objetivo de mergulhar no mundo da literatura, a série, formada por 52 episódios de 26 minutos cada, entrevista 52 escritores e apresenta curiosidades presentes no processo de criação de livros. Cada programa é formado por pequenos quadros com diversos assuntos relativos ao universo literário, e traz narração do ator José Rubens Xaxá. Entre os escritores entrevistados estão Ruy Castro, Luis Fernando Verissimo, Ruth Rocha, Ignácio de Loyola Brandão, Ferréz, Antonio Prata, Thalita Rebouças e Xico Sá.

Sobre o SescTV:
SescTV é um canal de difusão cultural do Sesc em São Paulo, distribuído gratuitamente, que tem como missão ampliar a ação do Sesc para todo o Brasil. Sua grade de programação é permeada por espetáculos, documentários, filmes e entrevistas. As atrações apresentam shows gravados ao vivo com artistas da música e da dança. Documentários sobre artes visuais, teatro e sociedade abordam nomes, fatos e ideias da cultura brasileira. Ciclos temáticos de filmes e programas de entrevistas sobre literatura, cinema e outras artes também estão presentes na programação.

SERVIÇO:

Super Libris
Teatro é Literatura?
Estreia: 25/7, segunda, às 21h
Reapresentações: 26/7, terça, às 9h e às 17h; 28/7, quinta, às 15h; 29/7, sexta, às 9h30 e às 17h30, 31/7, domingo, às 6h
Classificação indicativa: Livre
Direção Geral: José Roberto Torero
Produção: Padaria de Textos
Duração: 27’26’’

Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/aovivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv
E no facebook: https: facebook.com/sesctv

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Contos de enganar a morte , de Ricardo Azevedo, 1ª edição - 2003.

Por Thiago Grass
Pode-se dizer que o folclore é uma força em constante movimento, uma fala, um símbolo, uma linguagem que o uso torna coletiva. Por meio dele, as pessoas dizem e querem dizer. E a dica de leitura bebe justamente dessa fonte da cultura popular. No livro “Contos de enganar a morte”, o escritor Ricardo Azevedo explora esse tema tão delicado de forma leve e criativa. O próprio autor menciona na obra:
Trata-se de um grave erro considerar a morte um assunto proibido ou inadequado para crianças. Heróis nacionais como Ayrton Senna, presidentes da república e políticos importantes, artistas populares, parentes, amigos, vizinhos e até animais domésticos infelizmente podem morrer e morrem mesmo. A morte é indisfarçável, implacável e faz parte da vida (AZEVEDO, 2003, p.58).
Portanto, o livro reúne quatro narrativas sobre a “hora de abotoar o paletó”, “entregar a rapadura”, “bater as botas”, “esticar as canelas”. Nesses contos, os personagens se defrontam com a morte, contudo, ninguém …

Dois filmes sobre deficiência física para assistir no dia dos namorados

Por Fernanda Valente
Trago hoje dois filmes para reflexão. Como eu era antes de você é um filme que mexe com as nossas emoções. Porém, foge de toda a ideia que tratamos sobre a inclusão. Penso que o personagem na história, Will, que é tetraplégico joga fora tudo o que estamos vendo como evolução nos dias de hoje. A deficiência física é tratada como um caos, como algo sem solução, sem esperança, sem fé... É jogar fora todo o amor de Louisa. Veja o filme e entenda a minha frustração.



Já o filme Ferrugem e Osso, que também trata de um romance mostra uma construção rica e verdadeira de uma pessoa que adquire a deficiência física após um acidente. Vai mostrar a depressão, a adaptação, aceitação e novas possibilidades de vida. Não acabou. Há possibilidades. Há vida!



Feliz dia dos Namorados! Deixo abaixo uma linda poesia pessoal do meu amigo poeta Luiz Augusto que fala sobre construção familiar. 

O Cravo e a Rosa

Ainda um jovem cravo Uma rosa encontrei Com pétalas aveludadas Por ela me encantei
No j…

ORAÇÃO PELA PÁTRIA

Por Luiz Augusto da Silva
Querido povo brasileiro, só mesmo a oração e a bondade  divinal poderá  moralizar a crise política nacional e dar ao Brasil proteção total! Oremos: Senhor faça o gigante pela  própria natureza,  adormecido em berço esplêndido,  despertar deste atual pesadelo.  Ilumina aos nossos  representantes  para que tenham pela  nossa nação  mais respeito e maior zelo.  Façamos à Deus nosso apelo para sairmos   deste cruel desmantelo. Senhor, livrai-nos do homem corruptor  e das garras do leão devorador.  Faça o povo brasileiro ordeiro  e livre do jugo estrangeiro . Amém!
Uma reflexão para o atual momento!