Pular para o conteúdo principal

Mercearia do Conde promove Festival de Bowls

No clima das Olimpíadas, chef Flávia Marioto cria pratos que homenageiam diferentes países, do México à China

 Em vez de um passaporte, petit-bowls para viajar. Esse é o espírito do Festival de Bowls que a Mercearia do Conde, no Jardim Paulistano, promove de 08 a 31/agosto, em São Paulo. O festival acontece somente no jantar e traz 06 opções de pratos inspirados na culinária de diferentes países, servidos em petit-bowls, tigelinhas de cerâmica japonesa, ao preço de R$ 35 cada. Para comer com o hashi, ao estilo oriental.
A chef Flávia Marioto entrou no clima das Olimpíadas e criou pratos, servidos em petit-bowls, que homenageiam diferentes países. Crédito da foto: Raphael Criscuolo.
No clima dos jogos olímpicos, cada opção de prato tem um toque especial de alguma nacionalidade e cultura, uma verdadeira viagem gastronômica. O menu de viagens, criado pela chef Flavia Marioto (que prefere ser chamada por seu nome espiritual, Shanti Nilaya), é composto por: Itália (Espaguete de Fios de Legumes ao Pesto Rústico de Agrião e Tomate Confit), México (Polenta Cremosa com Ragu de Cordeiro à Mexicana); Peru (Sopa Peruana de Quinoa, Legumes, Abacate e Tofu), Marrocos (Tagine de Peixe à Marroquina com Limão Siciliano, Azeitona e Cuscuz), Índia (Arroz Integral Biryani com Legumes) e China (Bifum a Cantonês com Vegetais e Frango).
Ambiente mágico e aconchegante da Mercearia do Conde, perfeito para entrar no clima e aproveitar a viagem gastronômica do Festival de Bowls. 

Os bowls peruano e indiano são opções para os veganos.  A versão chinesa é feita com macarrão fininho de arroz e também é uma alternativa para os intolerantes ao glúten e à lactose. Em porções menores, a ideia é experimentar vários pratos durante o festival e eleger o seu favorito. Cozinha afetiva e em clima multicultural.

Sobre a Mercearia do Conde:

Criada em 1991 pelas sócias, a irrequieta chef Flávia Marioto e a restauratrice Maddalena Stasi, a Mercearia do Conde era originalmente uma mercearia e vendia mantimentos a granel, queijos, cereais e massas. A colorida casa de esquina na Joaquim Antunes, no coração do Jardim Paulistano, zona oeste de São Paulo, ainda guarda resquícios do antigo armazém, com azulejos brancos e objetos pendurados pelo teto. Fadas e trapezistas parecem voar pelo ambiente, quadros, pierrôs, espelhos, relicários, bicicleta, vassouras, panos de prato bordados, sacolas de feira, móbiles e artesanato variado estão por todos os cantos. Objetos garimpados pelas sócias em viagens pelo mundo afora. Pelo cardápio, também há a preocupação com essa viagem gastronômica e sensorial. A chef Flávia Marioto imprime ao menu sua marca: culinária saudável e um passeio por diferentes nacionalidades. Lá estão o frango thai, a salada tunisiana com cuscuz marroquino e o brasileiríssimo risoto de abóbora com carne seca. Ingredientes brasileiros com apresentação contemporânea e ousadias da chef, como a entradinha de guacamole com beiju de tapioca, em vez das tradicionais tortillas mexicanas. Multicultural e astral, um universo de puras misturas, é um restaurante para fazer refeições dignas de reis (ou condes) em um clima especial. Objetos de arte, de memória e de história, um ambiente lúdico, menu surpreendente. Ingredientes que fazem com que cada visita ao restaurante seja uma nova viagem.


Serviço:

Mercearia do Conde
www.merceariadoconde.com.br
Rua Joaquim Antunes, 217 - Jardim Paulistano
CEP: 05415-010 - São Paulo - SP
Tel. 11 3081-7204
Capacidade: 110 lugares
Horário de funcionamento:
De segunda, terça, quarta e quinta, das 12 às 16h para almoço e das 19h às 23h30 para jantar. Sexta: das 12h às 0h30, sem intervalo. Sábado: das 12h30 às 0h30, sem intervalo. Domingo: das 12h30 às 23h, sem intervalo.  Abre todos os dias.
Almoço executivo: de segunda a sexta, R$ 32; sábado e domingo, R$ 42.
Couvert: R$ 18 (por pessoa) no almoço e R$ 20 (por pessoa) no jantar.
CC: Amex, MasterCard, Visa, Diners
CD: Visa Electron, Red Shop, Maestro.
Não tem área para fumantes. Aceita cheques. Não faz entrega em domicílio. Aceita reservas. Tem ar-condicionado, aquecedores e acesso wi-fi. Proibido fumar.
Possui cadeirões para bebês.
Acesso e banheiro para deficientes físicos.
Serviço de valet: R$ 22 (almoço) e R$ 25 (jantar).
Serve vinho em taça.
Permite levar seu próprio vinho.
Serviço de rolha: R$ 48.
Adega climatizada com capacidade para 520 rótulos.
Aberto em 1991.
Instagram: @merceariadoconde
Facebook: /merceariadoconde
Twitter: @mercearia_conde

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seres Especiais

Por Luiz Augusto da Silva

Devemos sempre insistir na busca dos ideais. Perseverar sem cansaço, até às metas finais. Recorrermos aos meios, humanos e materiais. Confiantes no apoio, dos Seres Especiais. Sermos sempre otimistas, acreditando nas forças divinas. Fortalecidos pelo altruísmo, impulsos que reanimam. Felizmente neste mundo, os amigos aparecem. Aumentam as energias, que aos idealistas fortalecem. Agosto /2008 (Modificado)

Ninguém pode limitar os seus sonhos

Por Fernanda Valente


E se uma garotinha surda decidir ser bailarina? Quem impedirá? Estamos aqui para incluir e transformar. Isso é o que você poderá conferir ao assistir o curta-metragem de animação Tamara, produzida e criada por House Boat Animation. O filme é muito interessante para passar em sala de aulas para explicar a diversidade às crianças. Está disponível na Internet e serve como ferramenta para promover valores como respeito e empatia. Tamara é uma garotinha surda que quer ser bailarina. Qual é a barreira que os professores e os alunos podem tirar disso?

Fernanda Valente - Jornalista com especialização em Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Estudou teatro, fazendo parte do Grupo GEXTUS (Grupo Experimental de Teatro da UniSantos). É Instrutora da Libras (Língua Brasileira de Sinais). Ministrou aulas de design gráfico para surdos. Trabalhou como produtora e repórter em alguns programas de TV regionais. Hoje se dedica a trabalhos de comunicação digital e ao …

Dois filmes sobre deficiência física para assistir no dia dos namorados

Por Fernanda Valente
Trago hoje dois filmes para reflexão. Como eu era antes de você é um filme que mexe com as nossas emoções. Porém, foge de toda a ideia que tratamos sobre a inclusão. Penso que o personagem na história, Will, que é tetraplégico joga fora tudo o que estamos vendo como evolução nos dias de hoje. A deficiência física é tratada como um caos, como algo sem solução, sem esperança, sem fé... É jogar fora todo o amor de Louisa. Veja o filme e entenda a minha frustração.



Já o filme Ferrugem e Osso, que também trata de um romance mostra uma construção rica e verdadeira de uma pessoa que adquire a deficiência física após um acidente. Vai mostrar a depressão, a adaptação, aceitação e novas possibilidades de vida. Não acabou. Há possibilidades. Há vida!



Feliz dia dos Namorados! Deixo abaixo uma linda poesia pessoal do meu amigo poeta Luiz Augusto que fala sobre construção familiar. 

O Cravo e a Rosa

Ainda um jovem cravo Uma rosa encontrei Com pétalas aveludadas Por ela me encantei
No j…