Pular para o conteúdo principal

Dia da Bíblia enaltece as traduções

Celebrada no segundo domingo de dezembro, a data é precedida por campanha, promovida pela SBB, que este ano lembrará a importância do trabalho de disseminar a Palavra de Deus a todas as pessoas, na língua que lhes toca o coração.

As Traduções da Bíblia serão o foco das comemorações pelo Dia da Bíblia de 2016. Celebrada no segundo domingo de dezembro, a data é precedida por uma campanha da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), que incentiva a mobilização de igrejas cristãs de todo o País nas manifestações de estima e agradecimento a Deus por sua Palavra. Inspirada no texto de Neemias 8.8: “Eles iam lendo o Livro da Lei e traduzindo; e davam explicações para que o povo entendesse o que era lido”, tem o seguinte tema: Tradução da Bíblia: para que o povo entenda a Palavra de Deus. Ao propor essa temática, a SBB quer lançar luz à importância deste trabalho, que tem permitido a transmissão da mensagem bíblica na língua que toca o coração de um número cada vez maior de pessoas.
“A obra da tradução da Bíblia é fundamental para o trabalho da Igreja. Não apenas as novas traduções são importantes, mas também as revisões”, destaca Erní Seibert, secretário de Comunicação, Ação Social e Arrecadação da SBB. Ele acrescenta que no Brasil, por exemplo, das quase 180 línguas nativas ainda faladas, nem um terço tem tradução da Bíblia completa. Além disso, as traduções existentes precisam ser atualizadas constantemente em termos de linguagem, para que possam ser entendidas pelos povos.
Na campanha pelo Dia da Bíblia 2016 serão destacados os aspectos da proximidade do texto bíblico com o leitor e sua cultura. “A Bíblia deseja falar a língua do coração das pessoas. As igrejas, organizações missionárias, agências de tradução e a SBB precisam enfrentar o desafio de tornar a Bíblia disponível nas línguas indígenas cujos falantes estão ansiosos para ouvi-la”, alerta Seibert.
A celebração do Dia da Bíblia inclui uma campanha de arrecadação de recursos para manter e ampliar o trabalho de distribuição das Escrituras. Os recursos arrecadados possibilitarão que a Palavra alcance mais famílias carentes, detentos, estudantes e vítimas de calamidade, entre outros públicos. Para isso, serão oferecidos cofrinhos e envelopes para estimular os cristãos a levantarem ofertas pela Causa da Bíblia. As doações também poderão ser depositadas diretamente na conta bancária da SBB (Banco Bradesco, Agência 3390-1, C/C 18.512-4 - CNPJ 33.579.376/0001-51).
No site www.sbb.org.br/diadabiblia estará disponível para download a arte dos materiais sugeridos: cartaz, mensagem alusiva à data, camiseta, planos de leitura. No mesmo endereço, será possível fazer pedido de envelopes, cofrinhos para ofertas, cartazes e planos de leitura.

O Dia da Bíblia – Criado em 1549, na Grã-Bretanha pelo Bispo Cranmer, o Dia da Bíblia começou a ser celebrado no Brasil em 1850, quando chegaram da Europa e EUA os primeiros missionários cristãos evangélicos. Porém, a primeira manifestação pública aconteceu quando foi fundada a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), em 1948. Graças ao trabalho de divulgação das Escrituras Sagradas, desempenhado pela SBB, as comemorações se intensificaram e diversificaram, passando a incluir a realização de cultos, carreatas, shows, maratonas de leitura bíblica, exposições bíblicas, construção de monumentos à Bíblia e ampla distribuição de Escrituras.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ninguém pode limitar os seus sonhos

Por Fernanda Valente


E se uma garotinha surda decidir ser bailarina? Quem impedirá? Estamos aqui para incluir e transformar. Isso é o que você poderá conferir ao assistir o curta-metragem de animação Tamara, produzida e criada por House Boat Animation. O filme é muito interessante para passar em sala de aulas para explicar a diversidade às crianças. Está disponível na Internet e serve como ferramenta para promover valores como respeito e empatia. Tamara é uma garotinha surda que quer ser bailarina. Qual é a barreira que os professores e os alunos podem tirar disso?

Fernanda Valente - Jornalista com especialização em Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Estudou teatro, fazendo parte do Grupo GEXTUS (Grupo Experimental de Teatro da UniSantos). É Instrutora da Libras (Língua Brasileira de Sinais). Ministrou aulas de design gráfico para surdos. Trabalhou como produtora e repórter em alguns programas de TV regionais. Hoje se dedica a trabalhos de comunicação digital e ao …

Dois filmes sobre deficiência física para assistir no dia dos namorados

Por Fernanda Valente
Trago hoje dois filmes para reflexão. Como eu era antes de você é um filme que mexe com as nossas emoções. Porém, foge de toda a ideia que tratamos sobre a inclusão. Penso que o personagem na história, Will, que é tetraplégico joga fora tudo o que estamos vendo como evolução nos dias de hoje. A deficiência física é tratada como um caos, como algo sem solução, sem esperança, sem fé... É jogar fora todo o amor de Louisa. Veja o filme e entenda a minha frustração.



Já o filme Ferrugem e Osso, que também trata de um romance mostra uma construção rica e verdadeira de uma pessoa que adquire a deficiência física após um acidente. Vai mostrar a depressão, a adaptação, aceitação e novas possibilidades de vida. Não acabou. Há possibilidades. Há vida!



Feliz dia dos Namorados! Deixo abaixo uma linda poesia pessoal do meu amigo poeta Luiz Augusto que fala sobre construção familiar. 

O Cravo e a Rosa

Ainda um jovem cravo Uma rosa encontrei Com pétalas aveludadas Por ela me encantei
No j…

Estações do Ano

Nos vastos campos verdejantes Desabrocham flores silvestres Que com variadas tonalidades Dão vida!À linda paisagem agreste.
É tempo da primavera... Colorida estação... Que enfeita a natureza À espera do verão:
Espetáculo tropical Que ocorre cada ano Para que no ato final Caiam as folhas no outono.
Este ciclo "vicioso" O inverno encerrará Para que lindas flores Voltem aos jardins enfeitar!
Autor:Luiz Augusto da Silva Olímpia- São Paulo- Brasil Data:20/03/2011
Afinal, porque as folhas caem... Sabem?
Um abraço fraterno à espera do inverno...