Pular para o conteúdo principal

Mercearia do Conde traz cardápio histórico no aniversário de São Paulo

As receitas são do pesquisador gastronômico Caloca Fernandes e fazem parte do livro “A Culinária Paulista Tradicional”

A colorida Mercearia do Conde, restaurante que acaba de completar 25 anos e cuja história se mistura à da própria cidade, prepara um menu mais do que especial para celebrar os 463 anos de São Paulo. A restauratrice Maddalena Stasi recuperou receitas históricas, catalogadas pelo tio Caloca Fernandes, autor de diversos livros de gastronomia, e oferece, de 25 a 29/janeiro/17, um menu dedicado à culinária paulista no restaurante da Joaquim Antunes, no Jardim Paulistano.


A restauratrice Maddalena Stasi montou menu, na Mercearia do Conde, a partir de receitas históricas catalogadas pelo tio, o pesquisador gastronômico Caloca Fernandes. Crédito: Reprodução.

O menu é uma homenagem ao aniversário da cidade e traz pratos da autêntica culinária de raiz paulista. A inspiração foi o livro A Culinária Paulista Tradicional (Ed. Senac, 1998), de autoria do pesquisador gastronômico Caloca Fernandes. Jornalista, Caloca viajou pelo mundo todo e se especializou em gastronomia. Ele é autor, dentre outros, de Viagem Gastronômica através do Brasil (Ed. Senac, 2000), livro obrigatório para qualquer pessoa que se interesse por gastronomia no Brasil. Do livro sobre a culinária paulistana, que traz cerca de 80 receitas, Maddalena selecionou os seguintes pratos: Rocambole de Inhame e Camarão com Saladinha de Couve (R$ 32), a Carne Seca Ensopada (que vem acompanhada de arroz de cambuquira e croquetes de banana-nanica, R$ 72) e, para finalizar, o Pudim de Mandioca com Coco (R$ 25).


Menu com pratos que remetem às raízes da culinária paulista (origem portuguesa e indígena) e ao clima de fazenda. Uma das opções é o croquete de banana-nanica. Crédito: Walter Morgenthaler.

A cozinha paulista tem uma raiz, sobretudo, caipira, na produção das fazendas do interior do Estado. São representativos pratos como o Virado, que os tropeiros paulistas transportavam embrulhado num guardanapo ou a Moqueca Indígena, até hoje preparada no Vale do Paraíba. Para a semana comemorativa, Maddalena selecionou pratos que revelam tanto as influências portuguesas (caso da carne ensopada e do rocambole de camarão) quanto indígenas (ingredientes tipicamente brasileiros, como a mandioca e a cambuquira, os brotos da aboboreira e do chuchuzeiro). “Nas suas entradas pelo sertão, os bandeirantes e sertanistas são obrigados, por decreto, a semear milho, feijão e abóbora, plantas de cultivo fácil que irão garantir a alimentação dos novos aventureiros. Esses três produtos formaram a base da alimentação paulista”, explica o pesquisador Caloca Fernandes.

“A ideia foi fazer essa viagem no tempo, através da gastronomia paulista. Trazer um pouco do sabor de fazenda para a capital e que tem tudo a ver com a nossa própria história”, explica Maddalena Stasi, sócia da Mercearia do Conde.  Tudo começou naquele armazém de secos e molhados, com ares de interior. Em 1991, a colorida casa de esquina na Joaquim Antunes inaugurou como uma mercearia. O armazém vendia mantimentos a granel, queijos, cereais e massas. Um cafezinho começou a ser servido no balcão de mármore azul. Colocar as fatias do embutido dentro do pão, para comer ali mesmo, se tornou irresistível. Assim surgia o primeiro sanduíche da casa, o de mortadela com manteiga vinda da fazenda da família das sócias, no interior de Minas. Depois, quem levava a baguete fresquinha não resistia a prová-la com um pedaço de queijo ali mesmo. Uma saladinha foi providenciada para acompanhar. E assim começou o cardápio da Mercearia, com sanduíches, tortas, quiches, saladas e outros quitutes. A clientela, que no início se restringia a quem morava e trabalhava na região, cresceu. Vinha gente de todos os cantos. As mesas ficaram concorridas. Daí a casa não parou mais e assumiu definitivamente a sua vocação de restaurante. “Lá se vão 25 anos. Já estamos atendendo à terceira geração de muitas famílias e até fazendo casamentos de clientes que se tornaram nossos amigos”, comemora Maddalena. Na semana comemorativa do aniversário de São Paulo, quem optar pelos pratos do menu histórico ganha desconto de 45% na compra do livro na Mercearia do Conde. O exemplar sai por R$ 50.


Serviço:

Mercearia do Conde


Rua Joaquim Antunes, 217 – Jardim Paulistano

CEP: 05415-010 – São Paulo - SP

Tel. 11 3081-7204

Capacidade: 110 lugares

Horário de funcionamento:

De segunda a quinta, das 12 às 16h para almoço e das 19h às 23h30 para jantar. Sexta: das 12h às 0h30, sem intervalo. Sábado: das 12h30 às 0h30, sem intervalo. Domingo: das 12h30 às 23h, sem intervalo.  Abre todos os dias.

Almoço executivo: de segunda a sexta, R$ 35; sábado e domingo, R$ 48.

Couvert: R$ 18 (por pessoa).

CC: Amex, MasterCard, Visa, Diners

CD: Visa Electron, Red Shop, Maestro.
Não tem área para fumantes. Aceita cheques. Não faz entrega em domicílio. Aceita reservas. Tem ar-condicionado, aquecedores e acesso wi-fi. Proibido fumar.

Possui cadeirões para bebês.

Acesso e banheiro para deficientes físicos.

Serviço de valet: R$ 22 (almoço) e R$ 25 (jantar).

Serve vinho em taça.

Permite levar seu próprio vinho.

Serviço de rolha: R$ 48.

Adega climatizada com capacidade para 520 rótulos.

Aberto em 1991.

Instagram: @merceariadoconde

Facebook: /merceariadoconde

Twitter: @mercearia_conde


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Acredite!

Por Fernanda Valente

Está sem motivação? Perdeu a direção? Não ousa mais sonhar? Pare, respire e viva. Cerque-se de pessoas alegres, essas tem o poder de influenciar nossas vidas de uma maneira extraordinária. O mundo está muito carente de alegria. Por isso, comece por você. Mude os velhos hábitos. Pare de reclamar! Ouse! Hoje, acorde cedo, faça uma caminhada, converse com alguém que nunca viu, distribua sorrisos. Enfim, comunique-se de uma maneira especial, sendo você mesmo. Não rejeite as pessoas. Encontre em cada olhar algo lindo de se ver. Não sinta medo de conhecer alguém. Cada pessoa é única e possui histórias maravilhosas para serrem contadas e ouvidas. Eu gosto muito de conversar com os idosos, são pessoas carentes, que viveram muito e o que eles tem a oferecer são suas histórias de vidas. Hoje não é como ontem e o amanhã não será como hoje. As pessoas mudam. O tempo corre. Mas não deixe que o tempo o controle. Viva e pronto! Trabalhe com paixão mesmo que o seu emprego não seja o …

ORAÇÃO PELA PÁTRIA

Por Luiz Augusto da Silva
Querido povo brasileiro, só mesmo a oração e a bondade  divinal poderá  moralizar a crise política nacional e dar ao Brasil proteção total! Oremos: Senhor faça o gigante pela  própria natureza,  adormecido em berço esplêndido,  despertar deste atual pesadelo.  Ilumina aos nossos  representantes  para que tenham pela  nossa nação  mais respeito e maior zelo.  Façamos à Deus nosso apelo para sairmos   deste cruel desmantelo. Senhor, livrai-nos do homem corruptor  e das garras do leão devorador.  Faça o povo brasileiro ordeiro  e livre do jugo estrangeiro . Amém!
Uma reflexão para o atual momento!

Chove Lá Fora

Por Luiz Augusto da Silva


Amanhece! Chove lá fora! Tudo está muito nublado: _Meu coração sufocado: Chora! Quero você agora!
Nuvens acinzentadas Esconde o raiar do sol. Priva os meus ouvidos Do canto do rouxinol!
Rolo na cama! Jogo o lençol: _A saudade invade o local! A tristeza é cruel!: "Mortal"! A felicidade foge!: Infernal!
Sou forte! Bravo! Luto! Bruto! _ Sou guerreiro com esperança! As tempestades serão vencidas: _Pela afiada lança da bonança!