Pular para o conteúdo principal

Rafael Abdalla Quinteto apresenta uma mistura de música brasileira com jazz

A sonoridade do grupo pode ser apreciada em documentário e show inéditos, que o SescTV exibe no dia 19/2 domingo, a partir das 21h

                                 Rafael Abdalla. Foto: Piu Dip

Samba, choro, maracatu, baião e outros ritmos brasileiros se fundem ao jazz e a experimentações de vanguarda na musicalidade de Rafael Abdalla Quinteto, que se apresenta em documentário da série Passagem de Som e show da série Instrumental Sesc Brasil. Inéditos, os programas vão ao ar no dia 19/2, domingo, a partir das 21h, no SescTV (Assista também em sesctv.org.br/aovivo), com  direção geral Max Alvim.

O contrabaixista e compositor Rafael Abdalla nasceu no Mato Grosso do Sul e mudou-se para o interior de São Paulo, em 2003. Começou na música tocando violão e, aos poucos, foi se interessando pelo contrabaixo. O rock foi o primeiro ritmo que escolheu para tocar. Sua participação em grupos de baile e bandas de música regional sul mato-grossense o tornou um compositor versátil. “Tocando um pouquinho de cada coisa. Roda de samba, tudo que foi pintando, eu fui fazendo”, recorda.

No Passagem de Som, Rafael conversa com o contrabaixista Marcos Paiva, que foi seu professor; e fala sobre a liberdade de estudar e mesclar uma diversidade de sons ao jazz em seu repertório. Ele expõe que desta forma surge uma composição livre de estilos. “O nosso som tem coisa ‘brasuca’, quase estilizada, mas também tem espaço para “O que é isso aqui? Não sei. É um groove...”, explica acrescentando que recebe influências de compositores brasileiros como Cartola e Hermeto Pascoal.

O documentário mostra que a flexibilidade de Abdalla também é notada nas diferentes formações que já tocou ao longo de sua carreira. Seu primeiro álbum, que leva seu nome, foi gravado em quarteto e o segundo, Gratidão, em quinteto. O contrabaixista comenta sobre a diferença de tocar em duo, trio ou em um grupo maior, como em uma orquestra.

No show do Instrumental Sesc Brasil, exibido na sequência, Abdalla apresenta composições próprias, que se aliam à experiência de cada integrante do quinteto. “Todo mundo toca junto, participa dos arranjos. Minha ideia sempre foi que o disco seja de todo mundo”, esclarece o contrabaixista, que toca ao lado de José Luiz Martins, no piano; Edu Nali, na bateria; Rodrigo Ursaia, no saxofone e flauta; e Vinícius Gomes – guitarra.

SERVIÇO:

Passagem de Som / Instrumental Sesc Brasil

Rafael Abdalla Quinteto
Estreia: 19/2, domingo, a partir das 21h
Reapresentações: 20/2, segunda, às 16h30; 21/2 terça, às 9h30; 22/2, quarta, às 11h; 23/2, quinta, às 13h; e 25/2, sábado, às 14h.
Classificação indicativa: Livre
Produção: Canal Independente
Direção Geral: Max Alvim

Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/aovivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terminou a folia!

Terminou a folia;  não tirei a fantasia;  só transmito alegria; nada de melancolia. Sou Palhaço! Meus nervos são de aço. com meus versos,  meus sentimentos disfarço.  Sou Palhaço! Com nariz avermelhado; sapato pontiagudo; roupa colorida: No picadeiro,  a platéia alegro;  não iludo - convenço. Assim, conduzo a vida sem perder o compasso... Sou Palhaço! Sou Palhaço! 
13/02/2018 Luiz Augusto da Silva Olimpia - São Paulo

Os benefícios da caminhada

Fernanda Santiago
Existem inúmeras atividades físicas, mas a caminhada tem a menor taxa de abandono de todos eles. É simples e a mudança positiva que você pode fazer para efetivamente melhorar sua saúde cardíaca. Praticar a caminhada por pelo menos 30 minutos por dia pode ajudá-lo: Reduzir o risco de doença cardíaca coronáriaMelhorar a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangueMelhorar o perfil lipídico no sangueManter o peso corporal e diminuir o risco de obesidadeMelhorar o bem estar mentalReduzir o risco de osteoporoseReduzir o risco de câncer de mama e de cólonReduzir o risco de não insulino-dependente (tipo 2) diabetes

São muitos benefícios para uma atividade tão simples. Se você mora perto da praia, melhor ainda. Se não tem uma praia próxima, procure um parque.  Caminhe, respire fundo e aprecie tudo ao redor. O corpo agradece!

A tradicional sopa de cebola francesa

Fernanda Santiago Valente Quem é que não gosta de uma sopa no tempo frio? Aqui no Brasil, muitos recomendam a sopa de cebola para quem está com dor de garganta ou gripado. Eu vou além. Amo todos os tipos de cremes e sopas, mas a de cebola tem um sabor especial. A sopa tradicional da cozinha parisiense merece toda a atenção.Algumas lendas da França afirmam que a sopa de cebola foi inventada por Louis XV, quando passavam por uma crise. Ele só tinha cebolas, manteiga e champanhe como alimentos, assim como toda a população de baixa renda. A receita ganhou novos temperos ao decorrer dos anos e conseguiu conquistar todo o mundo, principalmente nós brasileiros, pois amamos nos deliciar com uma sopinha nos períodos frios, não é mesmo? Ainda nas tradições parisienses, a sopa serve para alimentar também as emoções do dia do tão sonhado casamento. Eles tem o hábito de consumir a sopa após a festa. Isso se repete também em grandes eventos. Se por acaso acordarem de ressaca, também consomem a sopa,…