Pular para o conteúdo principal

O começo

Por Fernanda Santiago

Que a vida é cheia de surpresas, disso sabemos. O inesperado sempre bate a nossa porta. Hoje estamos vivos, mas amanhã não sabemos. Podemos ter um dia repleto de alegria, mas ele também pode ser cheio de lágrimas. É sol e chuva. O tempo não para. Sentimentos vem e vão. Pessoas também.
Não paramos pra pensar que hoje pode ser o último dia de nossa vida aqui na Terra. Talvez se soubéssemos, brigaríamos menos, perdoaríamos mais. De certo, viveríamos, aproveitando cada segundo.
O maior presente que Deus nos deu foi a vida e o Espírito Santo que vive dentro de todos nós. Pena, que muitas vezes ignoramos sua voz. Sabe aquela voz que sempre bate dentro do nosso coação? _Vá! Faça hoje! Abrace hoje! Ame hoje! Não tenha medo! Vai dar tudo certo!
Pois é, Deus está o tempo todo conosco esperando a nossa atitude. ELE nos fez semelhantes a ELE e está apenas esperando uma prudência de nossa parte. Ele só diz: _ VIVA COM PAIXÃO!
Viver com paixão não é viver de forma irresponsável, fazendo tudo o que você acha que tem direito. Não. Também não é abrir mão de vários sonhos e ficar todos os dias imaginando como será a vida no céu. Temos que experimentar o AMOR aqui neste mundo mesmo, servindo de forma extraordinária.
Nosso tempo aqui é limitado, temos que viver o melhor dele. Nossos dias merecem ser muito especiais.

Oração: Papai querido, só tu sabes o meu fim. Tu colocastes em meu coração este mundo que é lindo e ao mesmo tempo conturbado. Ensina-me Senhor a enxergar tudo com olhos espirituais. Ensina-me a amar, a perdoar, a fazer do dia de hoje um dia muito especial. Um dia tão especial que eu não me venha a se arrepender de nada. Que eu te ame mais a cada dia, que eu me ame mais, que eu ame todos que estão ao meu redor. Amém!

Comentários

Minha querida,bom dia!Linda oração!Como sempre,estamos Unidos pela sintonia e poesia:
http://sonhareplanejar.blogspot.com.br/2017/05/grandioso-ser.html?m=1
...
Beijos no coração! ♡

Postagens mais visitadas deste blog

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















Roberto Carlos, O contador de Histórias

Fernanda Santiago
O contador de Histórias – Se você ainda não assistiu ao filme, recomendo que coloque na sua lista. Sabe aquelas histórias envolventes e reflexivas? Será que vale a pena investir numa pessoa que todo mundo diz que não tem jeito? Esta história verídica diz que sim. O filme conta a história de Roberto Carlos, um menino que teve sua primeira infância na Febem, devido a ignorância da sua mãe, mostrando o que a falta de educação e instrução faz com a sociedade. Para o sistema, Roberto Carlos era mais um “delinquente”, mas a condição de vida dele começou a mudar quando surgiu na Feben, uma educadora francesa que assumiu um papel maravilhoso na sua vida: o aceitou, o educou, o instruiu e acima de tudo, ensinou na prática que o amor é um longo exercício de paciência. Faz tempo que assisti ao filme, mas recentemente encontrei uma palestra do próprio Roberto Carlos no YouTube. Fiquei encantada. Hoje, é ele quem assume o papel de educador. Além disso, ele faz com outras crianças o…

Resenha: Contos de enganar a morte , de Ricardo Azevedo, 1ª edição - 2003.

Por Thiago Grass
Pode-se dizer que o folclore é uma força em constante movimento, uma fala, um símbolo, uma linguagem que o uso torna coletiva. Por meio dele, as pessoas dizem e querem dizer. E a dica de leitura bebe justamente dessa fonte da cultura popular. No livro “Contos de enganar a morte”, o escritor Ricardo Azevedo explora esse tema tão delicado de forma leve e criativa. O próprio autor menciona na obra:
Trata-se de um grave erro considerar a morte um assunto proibido ou inadequado para crianças. Heróis nacionais como Ayrton Senna, presidentes da república e políticos importantes, artistas populares, parentes, amigos, vizinhos e até animais domésticos infelizmente podem morrer e morrem mesmo. A morte é indisfarçável, implacável e faz parte da vida (AZEVEDO, 2003, p.58).
Portanto, o livro reúne quatro narrativas sobre a “hora de abotoar o paletó”, “entregar a rapadura”, “bater as botas”, “esticar as canelas”. Nesses contos, os personagens se defrontam com a morte, contudo, ninguém …