Pular para o conteúdo principal

Rainha frutífera

Uma homenagem especial de Luiz, a sua eterna esposa Vera, a rainha do lar, dos corações e frutífera musa de poesias, canções e emoções, entre filhos e suas gerações: 


Vieste a este mundo 
Em missão especial 
Realizar abençoada 
A incumbência divinal.

Ligação umbilical faz a União maternal com 
Corações ritmados por 
Intervalos musicais, entoarem 
A cantiga da vida, com batimentos naturais.
Fazendo em um ambiente tranquilo 
Executar milagrosamente 
Repetidas notas divinais 
Retiradas das partituras angelicais que 
Estimulam com a arte musical, reger com 
Intensa maestria a multiplicação que 
Reforça o propósito celestial, enquanto 
Aguarda-se o momento ideal.

Depois de nove meses 
Abre-se a cortina transparente! 

Surge, surpreendentemente, um 
Inocente ser inteligente! 
Lindo! Atraente! 
Que vem do seu âmago!
O Amor em forma de gente.

Mãe! Celeiro da vida! Das gerações! 
Tens muito valor! Vieste à esta Terra,
com nobreza e esplendor para mostrar e doar:
o verdadeiro amor.
Diante do certo! Do errado! Na alegria! Na dor! 
Perto! Distante! Seja lá aonde for. 

Querida esposa! Celeiro dos nossos filhos! 
Sustentáculo da nossa família. 
Parabéns! Saúde! Paz!
Hoje e sempre: você é agora, uma estrela que brilha!
Saudades eternas, 
Do seu esposo e filhos. 
Te amamos muito…

Autor: Luiz Augusto da Silva

Uma homenagem agora a todas as mães que dão a luz à vida: 

MÃEZINHA QUERIDA
Imagem: Benjamin Earwicker
Há sessenta e oito anos
O seu ventre eu habitava
Já sentia o seu carinho
Enquanto me esperava.

Mãe: deu-me à luz...
Naturalmente, chorei!
Senti intensa alegria:
_Seu lindo rosto avistei!

Em um mundo bem diferente:
_Desligado do umbilical cordão.
Ganhei vida! Mais vida!
Com  saborosa amamentação.

O tempo não parou...
Recebi seu aconchego.
Protegido em seu braços
Mãe! Nunca senti medo.
Colado! Aconchegado!
Juntinho aos seus  seios
Mãe! Fomos até à igreja:
_Nosso primeiro passeio.

Mãe! Vestes de tão lindas
Que a todos encantavam
Mostravam a habilidade
Do carinho que bordavas!

Ainda pequenino:
Sacramentado! Batizado!
_Avó Henriqueta - madrinha.
_Tio Agostinho - padrinho!

Mãe! Desde a minha infância
Ungido! Protegido pelo Divino!
Por mais velho que eu seja...
Prá senhora mãe! Serei menino!

Conforme me contaram:
Meus dias  tentei descrever!
Mãe! Aproveito deste momento,  
Para ao nosso Deus agradecer!

Não tenho! Não "existem" palavras.
Para agora lhe dizer! Porém, mãe!
Com muito amor vou lhe gradecer!:
_Mãe, obrigado!: Sou ser do seu ser! 

Autor: Luiz Augusto da Silva 

Comentários

Anônimo disse…
Querida Sintonia despertar e deparar com a linda publicação e as belas ilustrações das minhas poesias faz o meu coração o meu coração transbodar de emoção. Faltam-me vocábulos para descrever o carinho por dedicado por você .Sendo assim limito-me a dizer:muito obrigado!Obrigado mesmo!
Bom dia e lindo domingo !Feliz Dia das Mães! Beijos no seu generoso coração! ♡
Deus lhe proteja e faça acontecer sempre na sua vida e da sua família tudo de bom com proteção,amor e união !♡♡♡♡
Até mais! Fica na paz !
Unknown disse…
Bom dia caro amigo Poeta. Muito linda a sua homenagem ao dias das mães. Bom domingo. Feliz Dia das Mães. Bjs. Slafa
Anônimo disse…
Querida amiga Slafa você é muito gentil.Estou feliz por achar linda a minha homenagem.Tenha um bom dia e um lindo domingo.Feliz Dia das Mães juntinha com a sua mãezinha com muita alegria, amor e carinho.Deus abençoe vocês com luz e paz !Beijos ♡♡♡♡ Até mais ! !♡♡♡♡
Luiz Augusto da Silva
Como sempre te digo admiro esse amor....
Lindo poema para uma linda mulher!
Boa noite,querida Sueli.
Agradeço o seu carinho.
Beijos♡

Postagens mais visitadas deste blog

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















Roberto Carlos, O contador de Histórias

Fernanda Santiago
O contador de Histórias – Se você ainda não assistiu ao filme, recomendo que coloque na sua lista. Sabe aquelas histórias envolventes e reflexivas? Será que vale a pena investir numa pessoa que todo mundo diz que não tem jeito? Esta história verídica diz que sim. O filme conta a história de Roberto Carlos, um menino que teve sua primeira infância na Febem, devido a ignorância da sua mãe, mostrando o que a falta de educação e instrução faz com a sociedade. Para o sistema, Roberto Carlos era mais um “delinquente”, mas a condição de vida dele começou a mudar quando surgiu na Feben, uma educadora francesa que assumiu um papel maravilhoso na sua vida: o aceitou, o educou, o instruiu e acima de tudo, ensinou na prática que o amor é um longo exercício de paciência. Faz tempo que assisti ao filme, mas recentemente encontrei uma palestra do próprio Roberto Carlos no YouTube. Fiquei encantada. Hoje, é ele quem assume o papel de educador. Além disso, ele faz com outras crianças o…

Resenha: Contos de enganar a morte , de Ricardo Azevedo, 1ª edição - 2003.

Por Thiago Grass
Pode-se dizer que o folclore é uma força em constante movimento, uma fala, um símbolo, uma linguagem que o uso torna coletiva. Por meio dele, as pessoas dizem e querem dizer. E a dica de leitura bebe justamente dessa fonte da cultura popular. No livro “Contos de enganar a morte”, o escritor Ricardo Azevedo explora esse tema tão delicado de forma leve e criativa. O próprio autor menciona na obra:
Trata-se de um grave erro considerar a morte um assunto proibido ou inadequado para crianças. Heróis nacionais como Ayrton Senna, presidentes da república e políticos importantes, artistas populares, parentes, amigos, vizinhos e até animais domésticos infelizmente podem morrer e morrem mesmo. A morte é indisfarçável, implacável e faz parte da vida (AZEVEDO, 2003, p.58).
Portanto, o livro reúne quatro narrativas sobre a “hora de abotoar o paletó”, “entregar a rapadura”, “bater as botas”, “esticar as canelas”. Nesses contos, os personagens se defrontam com a morte, contudo, ninguém …