Pular para o conteúdo principal

Como apagar um estigma?

Por Fernanda Santiago

O dia estava tranquilo e do nada ela começou a chorar. Era uma tristeza sem fim. De repente o coração começou a disparar. A vontade era de correr, mas preferiu entrar debaixo do chuveiro com roupa e tudo. Vestiu uma calça jeans, uma blusa azul. Nem vestiu a calcinha. Não penteou os cabelos. Estava com vontade de se jogar do 14º andar, mas em vez disso pensou em correr. Ao invés do elevador, escolheu as escadas do prédio.
Ela correu pela praia. Entrou numa igreja, dessas que tem programas de televisão. Sua mãe foi atrás. De repente a menina estava lá no palco, enfrentando o pastor. Ela não lembra o que falou pra ele, mas lembra de acordar e ver um monte de obreiros em sua volta orando. Queriam fechar a igreja, mas o coração dela ainda estava acelerado. Parecia sentir que todos estavam desistindo dela.
A igreja era em frente à praia, tinha uma rampa alta. A vontade dela era se jogar dali. Tentou. Mas o seu namorado apareceu do nada e a segurou. Sua mãe e ele a colocaram dentro de um táxi. Ela achava que pessoas estavam lhe perseguindo. 
Foi levada a um hospital público. Ela achava que queriam lhe prender. A médica fazia perguntas, ela não lembra das perguntas e nem respostas, mas lembra que estava numa maca. Pessoas de todo tipo passavam por ali. Na hora de colherem seu exame de sangue ela pensava que queriam usar o seu sangue para algum tipo de magia. Foi um escândalo. 
Ela sentia medo de todas as pessoas que passavam pelo hospital. O sentimento era de que todas as pessoas ali gostariam de lhe fazer algum mal. Às vezes ela saia da maca e ficava pregando a salvação de Jesus para as pessoas, outras horas falava para os enfermos mais jovens que precisavam estudar, pois sem estudo é impossível ser alguém na vida.
Deram a ela um remédio e lhe deram alta. Dormiu por uns três dias. Quando acordou, olhava para as janelas, pois ainda acreditava que pessoas estavam lhe seguindo. Ficou um tempo sem ligar o celular e um bom tempo sem entrar em mídias sociais. Na cabeça dela, muitos estavam lhe perseguindo. Marcaram um psiquiatra pra ela. Novamente as medicações lhe fizeram dormir. Nos exames de sangue, sua tireoide estava muito alterada. 
Acordou dessa vez num estado catatônico. Não conseguia se mexer. Teve reações colaterais da medicação. Também falava mole.  Recebeu visita de parentes. Alguns juravam que ela estava usando drogas. Pessoas oravam por ela. Em algumas palavras ela dizia "Só os loucos sabem". Aos poucos ela começou a voltar para si. Ainda com os sentidos lentos, decidiu ir à sua faculdade para negociar o término da graduação. Deu certo. Aos poucos foi voltando para si, sem medo, mas totalmente estigmatizada de louca por muitos que a viram daquele jeito.
Ela tinha surtado! Mas ela vive, sonha e ainda acredita que: "Só os loucos sabem..."
...amar
...renascer
...encarar!
porque o que deprime são os outros.

 Obs: Quando você ver uma pessoa neste estado irá ajudar ou estigmatizar? Apoiar ou diminuir? Incluir ou excluir? A mente da gente é um carrossel. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terminou a folia!

Terminou a folia;  não tirei a fantasia;  só transmito alegria; nada de melancolia. Sou Palhaço! Meus nervos são de aço. com meus versos,  meus sentimentos disfarço.  Sou Palhaço! Com nariz avermelhado; sapato pontiagudo; roupa colorida: No picadeiro,  a platéia alegro;  não iludo - convenço. Assim, conduzo a vida sem perder o compasso... Sou Palhaço! Sou Palhaço! 
13/02/2018 Luiz Augusto da Silva Olimpia - São Paulo

Os benefícios da caminhada

Fernanda Santiago
Existem inúmeras atividades físicas, mas a caminhada tem a menor taxa de abandono de todos eles. É simples e a mudança positiva que você pode fazer para efetivamente melhorar sua saúde cardíaca. Praticar a caminhada por pelo menos 30 minutos por dia pode ajudá-lo: Reduzir o risco de doença cardíaca coronáriaMelhorar a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangueMelhorar o perfil lipídico no sangueManter o peso corporal e diminuir o risco de obesidadeMelhorar o bem estar mentalReduzir o risco de osteoporoseReduzir o risco de câncer de mama e de cólonReduzir o risco de não insulino-dependente (tipo 2) diabetes

São muitos benefícios para uma atividade tão simples. Se você mora perto da praia, melhor ainda. Se não tem uma praia próxima, procure um parque.  Caminhe, respire fundo e aprecie tudo ao redor. O corpo agradece!

A tradicional sopa de cebola francesa

Fernanda Santiago Valente Quem é que não gosta de uma sopa no tempo frio? Aqui no Brasil, muitos recomendam a sopa de cebola para quem está com dor de garganta ou gripado. Eu vou além. Amo todos os tipos de cremes e sopas, mas a de cebola tem um sabor especial. A sopa tradicional da cozinha parisiense merece toda a atenção.Algumas lendas da França afirmam que a sopa de cebola foi inventada por Louis XV, quando passavam por uma crise. Ele só tinha cebolas, manteiga e champanhe como alimentos, assim como toda a população de baixa renda. A receita ganhou novos temperos ao decorrer dos anos e conseguiu conquistar todo o mundo, principalmente nós brasileiros, pois amamos nos deliciar com uma sopinha nos períodos frios, não é mesmo? Ainda nas tradições parisienses, a sopa serve para alimentar também as emoções do dia do tão sonhado casamento. Eles tem o hábito de consumir a sopa após a festa. Isso se repete também em grandes eventos. Se por acaso acordarem de ressaca, também consomem a sopa,…