Pular para o conteúdo principal

Perda de memória e surf adaptado são temas de curtas-metragens que estreiam no SescTV

O documentário “Aloha”, de Nildo Ferreira e Paula Luana Maia, e a ficção “Dona Cristina Perdeu a Memória”, de Ana Luiza Azevedo, vão ao ar no dia 3/8, quinta, a partir das 21h
Imagem: Divulgação

Com curadoria de Zita Carvalhosa, a série Diferente Como Todo Mundo, sobre deficientes físicos ou mentais, que estreou em julho no SescTV,
 exibe, na sequência, dois curtas-metragens premiados. O documentário Aloha (15’, 2010), dirigido por Nildo Ferreira e Paula Luana Maia, fala sobre surfistas com necessidades especiais, que praticam o surf adaptado; e a ficção Dona Cristina Perdeu a Memória (13’, 2002), dirigida por Ana Luiza Azevedo, sobre a amizade entre um garoto de oito anos e sua vizinha, de 80, que confunde suas lembranças. As atrações vão ao ar no dia 3/8, quinta, a partir das 21h (assista também em sesctv.org.br/avivo).

O curta Aloha mostra como a tecnologia ajudou surfistas deficientes a se superarem e se unirem, com a pratica do surf adaptado. O surfista Henrique explica que essa modalidade do surf se ajusta de acordo com a necessidade de cada pessoa. Um dos mais importantes surfistas brasileiros, Taiu Bueno comenta sobre sua experiência em voltar a surfar - com uma prancha adaptada - depois de ficar 18 anos distantes das ondas, devido a um acidente que sofreu e imobilizou parte de seu corpo. “Hoje é um sonho se tornando realidade”, expressa. 
Logo depois, em Dona Cristina Perdeu a Memória, o garoto Antônio, em frequentes encontros matinais com sua vizinha, descobre que ela conta histórias diferentes sobre sua vida, seus parentes e os santos de cada dia, demonstrando esquecimento e falha da memória.  Dona Cristina acredita que o menino pode ajudá-la a recuperar suas lembranças. 
Sobre Diferente Como Todo Mundo:
É uma série inédita na televisão, que retrata personagens com deficiências físicas e mentais, sendo protagonistas de suas próprias histórias. Os filmes apresentados participaram, em épocas distintas, do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo – fundado por Zita Carvalhosa, em 1989, com correalização do Sesc desde 1996. O recorte é exibido com exclusividade pelo canal e conta com 20 produções brasileiras. A série surgiu a partir de programa de mesmo nome, que integrou a 27ª edição do festival, em 2016, em parceria com o Festival Internacional do Filme, em Cannes, na França.
Sobre o SescTV: 
SescTV é um canal de difusão cultural do Sesc em São Paulo, distribuído gratuitamente, que tem como missão ampliar a ação do Sesc para todo o Brasil. Sua grade de programação é permeada por espetáculos, documentários, filmes e entrevistas. As atrações apresentam shows gravados ao vivo com grandes nomes da música e da dança. Documentários sobre artes visuais, teatro e sociedade abordam nomes, fatos e ideias da cultura brasileira. Ciclos temáticos de filmes e programas de entrevistas sobre literatura, cinema e outras artes também estão presentes na programação.


Serviço:
Série: 
Diferente Como Todo Mundo
Curadoria: Zita Carvalhosa
Curta:
Aloha (15’, 2010) 
Estreia: 3/8, quinta, às 21h
Reapresentações: 5/8, sábado, às 20h; 6/8, domingo, às 6h30 e às 13h30; 7/8, segunda, às 22h; 8/8, terça, às 15h30; e 9/8, quarta, às 6h30.
Classificação indicativa: Livre
Direção: Nildo Ferreira e Paula Luana Maia
Dona Cristina Perdeu a Memória (14’, 2002) 
Estreia: 3/8, quinta, às 21h15
Reapresentações: 5/8, sábado, às 20h15; 6/8, domingo, às 6h45 e às 13h45; 7/8, segunda, às 22h15; 8/8, terça, às 15h45; e 9/8, quarta, às 6h45.
Classificação indicativa: Livre
Direção: Ana Luiza Azevedo
Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV 
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/ao vivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv 
E no facebook: https: facebook.com/sesctv

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dois filmes sobre deficiência física para assistir no dia dos namorados

Por Fernanda Valente
Trago hoje dois filmes para reflexão. Como eu era antes de você é um filme que mexe com as nossas emoções. Porém, foge de toda a ideia que tratamos sobre a inclusão. Penso que o personagem na história, Will, que é tetraplégico joga fora tudo o que estamos vendo como evolução nos dias de hoje. A deficiência física é tratada como um caos, como algo sem solução, sem esperança, sem fé... É jogar fora todo o amor de Louisa. Veja o filme e entenda a minha frustração.



Já o filme Ferrugem e Osso, que também trata de um romance mostra uma construção rica e verdadeira de uma pessoa que adquire a deficiência física após um acidente. Vai mostrar a depressão, a adaptação, aceitação e novas possibilidades de vida. Não acabou. Há possibilidades. Há vida!



Feliz dia dos Namorados! Deixo abaixo uma linda poesia pessoal do meu amigo poeta Luiz Augusto que fala sobre construção familiar. 

O Cravo e a Rosa

Ainda um jovem cravo Uma rosa encontrei Com pétalas aveludadas Por ela me encantei
No j…

ORAÇÃO PELA PÁTRIA

Por Luiz Augusto da Silva
Querido povo brasileiro, só mesmo a oração e a bondade  divinal poderá  moralizar a crise política nacional e dar ao Brasil proteção total! Oremos: Senhor faça o gigante pela  própria natureza,  adormecido em berço esplêndido,  despertar deste atual pesadelo.  Ilumina aos nossos  representantes  para que tenham pela  nossa nação  mais respeito e maior zelo.  Façamos à Deus nosso apelo para sairmos   deste cruel desmantelo. Senhor, livrai-nos do homem corruptor  e das garras do leão devorador.  Faça o povo brasileiro ordeiro  e livre do jugo estrangeiro . Amém!
Uma reflexão para o atual momento!

0 beija-flor e a rosa

Uma rosa muito linda
Num jardim a enfeitar
Romântico beija-flor
Surge a lhe cortejar:
Do nectar suga a doçura
Da rosa prosa...dengosa.
O pássaro fica encantado
Que cena maravilhosa.
A rosa conquistada
Com a nobre cortesia
Espera com alegria
Que ele volte um dia.
Inicia-se um romance
Romance sem interesse
Que todo namoro fosse
Fosse assim como esse.
Um novo dia surgiu
Depois que ele partiu
Retornou apaixonado
E com a rosa se uniu.

Autor: Luiz Augusto da Silva
Livro: O arco-íris das poesias
Local: Olímpia - SP - Brasil
Edição:2008 (modificado)