Pular para o conteúdo principal

SescTV estreia Diferente Como Todo Mundo, seleção de curtas-metragens sobre pessoas com deficiências físicas ou mentais

Os filmes participaram do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e estreiam no dia 20/7, quinta, às 21h, com curadoria de Zita Carvalhosa Curta: Escute. 

Com o objetivo de levar ao espectador, sentimentos, emoções, desafios pessoais e de interação social de deficientes físicos ou mentais, e proporcionar mais visibilidade a esses cidadãos, o SescTV estreia neste mês a série Diferente Como Todo Mundo, com curadoria de Zita Carvalhosa. Serão exibidas 20 produções, com durações entre 9 e 25 minutos, que participaram, em épocas distintas, do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo – fundado por Zita, em 1989, com correalização do Sesc desde 1996. O recorte inédito para a televisão surgiu a partir do programa de mesmo nome, que integrou a 27ª edição do festival, em 2016, em parceria com o Festival Internacional do Filme, em Cannes, na França. A partir de narrativas de pessoas com alguma deficiência, seja limitação do funcionamento físico-motor, problemas de mobilidade ou de crescimento, sejam questões mentais, psiquiátricas ou de memória, os curtas-metragens fazem dos deficientes protagonistas de suas próprias histórias. A primeira produção a ser apresentada, no dia 20/7, quinta, às 21h (assista também em sesctv.org.br/aovivo), é o premiado documentário Escute (25’, 2015), dirigido por Manoela Meyer. O filme aborda percepções e experiências de deficientes visuais no cinema, como profissionais ou meros admiradores da sétima arte. O curta ainda utiliza o recurso de audiodescrição. Mário Fioranni, neurocientista da Universidade Federal do Rio de Janeiro – URFJ e especialista em visão, fala sobre o sistema visual dos humanos que ocupa 1/3 do córtex. Ele explica que o ato de abrir o olho, aparentemente simples, é o mais sofisticado que o cérebro é capaz de fazer. “É o que gasta mais processamento do sistema nervoso”, comenta. Curioso e criativo, o cineasta João Júlio, 48 anos e cego desde os 30, foi ao 47º Festival de Brasília no Cinema Brasileiro e conta que as pessoas não entenderam o que foi fazer ali. Ele revela sua experiência em dirigir um filme mudo. O diretor da Associação de Deficientes Visuais e Amigos, Markiano Charan Filho, 70 anos e cego desde bebê, diz que o fato de deficientes visuais frequentarem cinema é tão importante como comer e andar. Cego desde os quatro anos, o italiano Mirco Mencacci, 53 anos e sound designer, fala sobre um curta-metragem que produziu sem barulho, porém com 64 sons. “Esse silêncio eu criei gravando dezenas e dezenas de horas de silêncio na igreja, mas pegando um conjunto de pequenos sons”, esclarece. A audiodescrição, recurso utilizado em obras cinematográficas para possibilitar o entendimento pelo deficiente visual, também é tema do filme. Bell Machado, audiodescritora especializada em cinema afirma que é importante respeitar a autoria e a linguagem do diretor no momento de elaborar a audiodescrição. Luís Henrique Mauch, fundador da Ong Mais Diferenças, vê o diretor como a melhor indicação para criar um roteiro de audiodescrição. Já Rubens Rewald, cineasta e professor da Universidade de São Paulo – USP, fica fascinado ao ver outras pessoas fazendo narrativas de um trabalho seu para aqueles que não enxergam ou têm pouca visão. “Para mim é incrível um monte de gente tentando narrar uma cena que eu tinha escrito, buscando a melhor palavra”. Além deste, o SescTV estreia em julho outro filme premiado, Criaturas que Nasciam em Segredo (21’, 1995), dirigido por Chico Teixeira. No ar dia 27, quinta, às 21h, o documentário reúne depoimentos de anões, homens e mulheres, sobre suas vidas na metrópole, abordando questões como o preconceito, a sexualidade, os sonhos, as dificuldades de encontrar trabalho e a vida familiar.
Serviço:
 
Estreia da série:
Diferente Como Todo Mundo
Curadoria: Zita Carvalhosa
 
1ª exibição:
Escute (25’, 2015)
Estreia: 20/7, quinta, às 21h
Reapresentações: 22/7, sábado, às 20h; 23/7, domingo, às 6h30 e às 13h30; 24/7, terça, às 15h30; e 26/6, quarta, às 6h30.
Classificação indicativa:Livre
Direção: Manoela Meyer
 
Criaturas que Nasciam em Segredo (21’, 1995)
Estreia: 27/7, quinta, às 21h
Classificação indicativa: 10 anos
Reapresentações: 29/7, sábado, às 20; 23/7, domingo, às 6h30 e às 13h30; 31/7, segunda, às 22h; 1/8, terça, às 15h30; e 2/8, quarta, às 6h30.
Direção: Chico Teixeira
 
Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/ao vivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv
E no facebook: https://facebook.com/sesctv
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os benefícios da caminhada

Fernanda Santiago
Existem inúmeras atividades físicas, mas a caminhada tem a menor taxa de abandono de todos eles. É simples e a mudança positiva que você pode fazer para efetivamente melhorar sua saúde cardíaca. Praticar a caminhada por pelo menos 30 minutos por dia pode ajudá-lo: Reduzir o risco de doença cardíaca coronáriaMelhorar a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangueMelhorar o perfil lipídico no sangueManter o peso corporal e diminuir o risco de obesidadeMelhorar o bem estar mentalReduzir o risco de osteoporoseReduzir o risco de câncer de mama e de cólonReduzir o risco de não insulino-dependente (tipo 2) diabetes

São muitos benefícios para uma atividade tão simples. Se você mora perto da praia, melhor ainda. Se não tem uma praia próxima, procure um parque.  Caminhe, respire fundo e aprecie tudo ao redor. O corpo agradece!

Terminou a folia!

Terminou a folia;  não tirei a fantasia;  só transmito alegria; nada de melancolia. Sou Palhaço! Meus nervos são de aço. com meus versos,  meus sentimentos disfarço.  Sou Palhaço! Com nariz avermelhado; sapato pontiagudo; roupa colorida: No picadeiro,  a platéia alegro;  não iludo - convenço. Assim, conduzo a vida sem perder o compasso... Sou Palhaço! Sou Palhaço! 
13/02/2018 Luiz Augusto da Silva Olimpia - São Paulo

A tradicional sopa de cebola francesa

Fernanda Santiago Valente Quem é que não gosta de uma sopa no tempo frio? Aqui no Brasil, muitos recomendam a sopa de cebola para quem está com dor de garganta ou gripado. Eu vou além. Amo todos os tipos de cremes e sopas, mas a de cebola tem um sabor especial. A sopa tradicional da cozinha parisiense merece toda a atenção.Algumas lendas da França afirmam que a sopa de cebola foi inventada por Louis XV, quando passavam por uma crise. Ele só tinha cebolas, manteiga e champanhe como alimentos, assim como toda a população de baixa renda. A receita ganhou novos temperos ao decorrer dos anos e conseguiu conquistar todo o mundo, principalmente nós brasileiros, pois amamos nos deliciar com uma sopinha nos períodos frios, não é mesmo? Ainda nas tradições parisienses, a sopa serve para alimentar também as emoções do dia do tão sonhado casamento. Eles tem o hábito de consumir a sopa após a festa. Isso se repete também em grandes eventos. Se por acaso acordarem de ressaca, também consomem a sopa,…