Pular para o conteúdo principal

A Educação Proibida

SescTV estreia “No se Mira Impunemente”, documentário inédito sobre o teatro ibero-americano contemporâneo



O filme vai ao ar no canal no dia 16/9, sábado, às 22h, e também será exibido no Sesc Santos, no dia 26/9, às 20h, com a presença do diretor Cristiano Burlan
Inspirado na obra No Se Mira Impunemente pela Ventana, do diretor teatral e artista plástico polonês Tadeusz Kantor, o documentário No se Mira Impunemente, dirigido pelo diretor de cinema e teatro Cristiano Burlan propõe um diálogo sobre o teatro ibero-americano contemporâneo. A produção foi gravada durante o Mirada - Festival Ibero-americano de Artes Cênicas de Santos, 2016, realizado no litoral paulista. Contendo trechos de espetáculos apresentados na quarta edição do festival, a atração conversa com artistas e profissionais ligados à área teatral sobre temas tratados nessas obras, como a violência e o rompimento das fronteiras entre o teatro, as artes plásticas, a dança, a literatura e o cinema. 
Realizado pelo SescTV, o documentário inédito estreia no canal, no dia 16/9, sábado, às 22h (assista também em sesctv.org.br/avivo), e será exibido no Sesc Santos, no dia 26/9, terça-feira, às 20h. A exibição no Sesc Santos é gratuita e conta com um bate-papo após o filme, com participação do diretor Cristiano Burlan e dos curadores da última edição do Mirada.
Violência, sexo e morte são temas abordados no documentário, através do trabalho da atriz e dramaturga espanhola Angélica Liddell e seu espetáculo Qué Hare Yo Con Esta Espada? Para a artista, a violência é um ato que ajuda as pessoas a reconhecerem suas próprias naturezas. “O que faço é transformar a violência real em violência poética”, articula. Já o sexo e a morte, segundo Liddell, foram as primeiras proibições aplicadas ao ser humano. “Implicam a lei e a violação da lei, e, para mim, é importantíssimo levar o teatro para o terreno mítico, de transgressão”, explica.
A política também é um tema que permeia algumas das montagens que fizeram parte da 4ª edição do festival, como a peça A Trajédia Lantino-Americana, do diretor e dramaturgo Felipe Hirsch, inspirada no cenário sociopolítico do continente. A atriz Júlia Lemmertz, que participa da peça, diz que viver já é um ato político. “A política está em tudo, principalmente na arte”, completa. 
O crítico de teatro Daniel Schenker questiona sobre a importância de se definir o que é teatro, cinema ou dança, já que, para ele, há um encontro das fronteiras dessas manifestações artísticas. “Essa intersecção é alguma coisa que acontece bastante nos espetáculos de hoje. Eu acho interessante essa contaminação”, revela. O trabalho de Hirsch é um exemplo dessa mistura de fronteiras da arte. “Todo meu outro background vem de tudo que eu vi em cinema. Na música também, mas muito mais no cinema”, conta o diretor.
O documentário também aborda o teatro artesanal, representado no festival pelo grupo Clows de Shakespeare. “Você usa garrafa pet cortada ao meio, com areia e um pedaço de pau com uma rosa. Eu acho que é um pouco a síntese do que é a linguagem desse espetáculo escrito há mais de 400 anos”, esclarece o ator Marco França, se referindo à montagem Sua Incelência, Ricardo III, do dramaturgo inglês William Shakespeare, dirigida por Gabriel Villela. A peça mistura elementos da cultura brasileira com da Inglaterra Elizabetana.  
A produção ainda traz depoimentos do filósofo brasileiro Vladimir Safatle, que comenta, entre outros assuntos, sobre a capacidade que a arte tem de construir e desconstruir suas formas.
Sobre o Mirada - Festival Ibero-americano de Artes Cênicas de Santos
Realizado pelo Sesc São Paulo desde 2010, o festival bienal tem como objetivo traçar um panorama das produções teatrais contemporâneas de países da América Latina, Portugal e Espanha. Ao trazer essas produções, o festival discute questões importantes sobre o fazer cênico e sobre identidades, abrindo espaços para o diálogo intercultural. Além disso, destaca a transformação da herança ibero-americana e sua hibridização no encontro com outras culturas. A cada edição, o festival homenageia um país e prioriza alguns temas. Na edição de 2016, a Espanha foi a nação que teve uma atenção especial, participando com oito espetáculos, e os temas foram a troca, o diálogo, o olhar da criação, do pensamento e do sentir. 


Serviço:

Documentário
No se Mira Impunemente
Direção: Cristiano Burlan

Estreia no SescTV
Dia: 16/9, sábado, às 22h
Reapresentações:
Classificação indicativa: 16 anos

Lançamento no Sesc Santos
Dia: 26/9, terça, às 20h

Produção: Belas Filmes Produções 
Realização: SescTV 
Duração: 56 min


Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV 
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/ao vivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv 
E no facebook: https: facebook.com/sesctv

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dez Comportamentos que destroem os melhores casamentos

Por Fernanda Santiago
Casamentos que parecem não ter mais jeito, onde os cônjuges não se respeitam e até que abusam fisicamente um do outro são assuntos abordados no livro Castelo de Cartas, de Gary Chapman. Autor de outros livros como “As cinco linguagens do amor”, “Agora você está falando a minha linguagem“, “A essência das cinco linguagens do amor”, entre outros... Gary explica em Castelo de Cartas as experiências de casais que estavam com os seus casamentos totalmente destruídos pela falta de comunicação, falta de tempo e principalmente falta de respeito, mas que através de conselho e análise pastoral na vida de cada um, pode descobrir o problema e ajudá-los a serem felizes, e principalmente, restaurados pela mudança. O livro relata em todo o momento que devemos abandonar os mitos, aqueles que dizem que o ambiente determina o nosso estado mental. Um exemplo, será que eu não terei jeito se nasci num ambiente violento, ou o qual meus pais fumavam, me abusaram ou me rejeitaram? Ao cont…

Agosto acabou... UFA!

Fernanda Santiago

Nunca fui de acreditar em superstição, mas agosto nunca foi um mês agradável pra mim e nem mesmo para a História: a Primeira Guerra Mundial começou no dia 1º de agosto de 1914, as cidades de Hihoshima e Nagasaki foram atacadas com bombas atômicas nos dias 6 e 9 de agosto de 1945, matando mais de 200 mil pessoas, foi em 2 de agosto de 1934 que Adolf Hitler se tornou Chefe de Estado da Alemanha, entre outros fatos... Não é à toa que é considerado o mês dos desgosto ou da desgraça. A expressão "Mês do Cachorro Louco" tem a ver com com as cadelas que ficam no cio, devido as condições climáticas, os cachorros ficam "muito loucos" e brigam para possuir a fêmea.  E não é só bicho que fica louco: Getúlio Vargas se suicidou no dia 24 de agosto de 1954, muitos católicos e protestantes se mataram em nome de Deus na Irlanda do Norte, em 12 de agosto de 1968, Juscelino Kubitscheck morreu num acidente de carro, em agosto de 1976... Aqui em Santos, caiu um avião, qu…

Resenha: Contos de enganar a morte , de Ricardo Azevedo, 1ª edição - 2003.

Por Thiago Grass
Pode-se dizer que o folclore é uma força em constante movimento, uma fala, um símbolo, uma linguagem que o uso torna coletiva. Por meio dele, as pessoas dizem e querem dizer. E a dica de leitura bebe justamente dessa fonte da cultura popular. No livro “Contos de enganar a morte”, o escritor Ricardo Azevedo explora esse tema tão delicado de forma leve e criativa. O próprio autor menciona na obra:
Trata-se de um grave erro considerar a morte um assunto proibido ou inadequado para crianças. Heróis nacionais como Ayrton Senna, presidentes da república e políticos importantes, artistas populares, parentes, amigos, vizinhos e até animais domésticos infelizmente podem morrer e morrem mesmo. A morte é indisfarçável, implacável e faz parte da vida (AZEVEDO, 2003, p.58).
Portanto, o livro reúne quatro narrativas sobre a “hora de abotoar o paletó”, “entregar a rapadura”, “bater as botas”, “esticar as canelas”. Nesses contos, os personagens se defrontam com a morte, contudo, ninguém …