Pular para o conteúdo principal

Como recomeçar após um fracasso?

Fernanda Santiago Valente
e a incomparável grandeza do seu poder para conosco, os que cremos, conforme a atuação da sua poderosa força.
20 Esse poder ele exerceu em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e fazendo-o assentar-se à sua direita, nas regiões celestiais,

Quantas vezes durante um culto ou até mesmo conversando com algum amigo, ouvimos frases do tipo: Você tem que nascer de novo, o seu velho homem precisa morrer, você deve matar o seu eu, entre outras. Confesso que é muito difícil ouvir essas frases após uma situação de perda ou fracasso. Quando perdemos ficamos meio atordoados. Como conseguir se equilibrar em momentos assim?
Reconheço que é só o poder de Deus para nos fortalecer. Atualmente, quantas são as pessoas que acabam com a própria vida? Depressão, Ansiedade, Síndrome do Pânico, Bipolaridade, Esquizofrenia, entre outros transtornos são tratadas como doenças do século. Nestes casos existem tratamentos médicos. No entanto, só o tratamento não ajuda. Só a presença de Deus que é capaz de mandar para o inferno todos os sintomas de baixo estima e destruição. Lembrando que os médicos são instrumentos de Deus nas nossas vidas e jamais devemos abandonas um tratamento quanto apresentamos alguns desses sintomas.
Nascer de novo é deixar Deus conduzir as nossas vidas. Não é fazer a minha vontade. É alicerçar a minha vontade a dele. Como? Orando. Senhor, esvazie o meu coração dos meus achismos e pensamentos negativos, esvazie o meu interior de sentimentos que não pertencem a ti. Senhor, minha vontade é não levantar mais da cama. Por favor, me ajude a levantar. (E assim, tomar a atitude de levantar). É a cada dia se reconstruir. Recomeçar aos poucos. Mesmo que o processo seja lento, levantar da cama, enumerar tarefas, orar já são práticas divinas. Deus está reconstruindo da melhor forma o que foi demolido.
Nossa tendência em momentos de fracassos também é se orgulhar. Podemos nos fechar. Não abrir o nosso coração da forma que deveríamos. Abrir o coração não significa sair contatando todos os podres da sua vida para qualquer um. Não. Não é isso. É simplesmente contar para Deus ou para alguém que você confia que precisa de ajuda espiritual. Isso nos fortalece. Deus sempre manda pessoas. Nós somos um corpo e os membros precisam uns dos outros. Precisamos nos fortalecer em Cristo. Neste momento, nos esvaziar e deixar o Espírito Santo nos encher, porque é ELE que tem a maior ousadia em brilhar em nós, não o nosso EU. Que possamos recomeçar agora de forma extraordinária! Deus ressuscita sonhos! Deus ressuscita as nossas vidas!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















Roberto Carlos, O contador de Histórias

Fernanda Santiago
O contador de Histórias – Se você ainda não assistiu ao filme, recomendo que coloque na sua lista. Sabe aquelas histórias envolventes e reflexivas? Será que vale a pena investir numa pessoa que todo mundo diz que não tem jeito? Esta história verídica diz que sim. O filme conta a história de Roberto Carlos, um menino que teve sua primeira infância na Febem, devido a ignorância da sua mãe, mostrando o que a falta de educação e instrução faz com a sociedade. Para o sistema, Roberto Carlos era mais um “delinquente”, mas a condição de vida dele começou a mudar quando surgiu na Feben, uma educadora francesa que assumiu um papel maravilhoso na sua vida: o aceitou, o educou, o instruiu e acima de tudo, ensinou na prática que o amor é um longo exercício de paciência. Faz tempo que assisti ao filme, mas recentemente encontrei uma palestra do próprio Roberto Carlos no YouTube. Fiquei encantada. Hoje, é ele quem assume o papel de educador. Além disso, ele faz com outras crianças o…

Resenha: Contos de enganar a morte , de Ricardo Azevedo, 1ª edição - 2003.

Por Thiago Grass
Pode-se dizer que o folclore é uma força em constante movimento, uma fala, um símbolo, uma linguagem que o uso torna coletiva. Por meio dele, as pessoas dizem e querem dizer. E a dica de leitura bebe justamente dessa fonte da cultura popular. No livro “Contos de enganar a morte”, o escritor Ricardo Azevedo explora esse tema tão delicado de forma leve e criativa. O próprio autor menciona na obra:
Trata-se de um grave erro considerar a morte um assunto proibido ou inadequado para crianças. Heróis nacionais como Ayrton Senna, presidentes da república e políticos importantes, artistas populares, parentes, amigos, vizinhos e até animais domésticos infelizmente podem morrer e morrem mesmo. A morte é indisfarçável, implacável e faz parte da vida (AZEVEDO, 2003, p.58).
Portanto, o livro reúne quatro narrativas sobre a “hora de abotoar o paletó”, “entregar a rapadura”, “bater as botas”, “esticar as canelas”. Nesses contos, os personagens se defrontam com a morte, contudo, ninguém …