Pular para o conteúdo principal

Pratique o perdão!

Fernanda Santiago Valente

Perdoem como o Senhor lhes perdoou (Cl. 3. 13)

Perdoar nos torna livres. Deus sempre nos perdoa, mas por que será que é tão difícil liberarmos perdão a alguém ou até a nós mesmos? A falta de perdão nos adoece, nos causa ira ou amargura. É um peso. Não é a pessoa que nos fez mal que a falta de perdão destrói, é a nós mesmos.
Hoje reconheço que demorei demais para perdoar uma pessoa que amei demais no passado. Ela traiu a minha confiança, sonhos e tudo aquilo o que eu sentia por ela. Demorou muito para eu arrancar a dor e parar de pensar em tudo aquilo, mesmo seguindo a vida através de outros caminhos. Tive que reconhecer também que eu também estava precisando perdoar Deus. Afinal, ninguém quer ser frustrado no roteiro da vida, não é mesmo?
Tive que me perdoar também. Não é fácil reconhecer e nem assumir isso. Só Deus tem o poder de ir no mais profundo da nossa alma e nos mostrar o que devemos fazer. Sem perdão bloqueamos as bênçãos de Deus nas nossas vidas.
Faz apenas três anos que me sinto curada em questão de perdoar a Deus, a pessoa que me trais e também a mim mesmo. Só que demorei demais para perceber que eu também deveria me perdoar: por ter culpado a Deus e pessoas ao meu redor por imprevistos e dores que aconteceram comigo. Aprendi que não estamos livres dos acontecimentos ruins, mesmo acreditando em Deus. O mais difícil de fazer e a atitude mais correta é esperar e confiar em Deus. É Deus quem nos ajuda a passar pela dor. É Ele também quem nos fortalece.  
Perdoar é parar de se lamentar pelas situações que deram errado, é aprender a lição e perceber que a dor já não existe. É entender que você não precisa se tornar o melhor amigo daquele que te traiu ou magoou, mas lembrar da pessoa sem amargura, ira ou ódio no coração. É desejar a ela o mesmo amor de Deus. Isso para mim é um milagre.
No nosso dia a dia dentro de todos os nossos relacionamentos teremos que perdoar situações pequenas ou grandes. As situações pequenas são aqueles desentendimentos ou picuinhas que acontecem entre amigos, colegas de trabalho, família... Agora as situações mais difíceis com certeza é uma traição, roubo, uma humilhação, um homicídio, e por aí vai. São lacunas que ficam no coração, feridas que demoram para fechar ou cicatrizar. É necessário cuidar muito bem do nosso coração. Precisamos ficar inteiros para Deus, para a vida, para nós mesmos e para os outros. Isso só acontece quando há perdão.
A falta de perdão nos rouba a vida, pois a amargura tem o poder de nos deixar doentes e paralisados. A vida daqueles que nos feriram segue e a nossa fica presa. Por isso, peça sempre forças a Deus para perdoar. Aceite o presente de hoje. Recupere a sua autoestima. Ame o amor de Deus. Também peça perdão. O primeiro a pedir perdão é sempre o mais feliz. Aceite! As pessoas que amamos não são perfeitas, são falhas.
Para quem você precisa pedir perdão? Quem você precisa perdoar?  


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SBB prorroga as inscrições do Concurso Literário 2018 voltado a pessoa com deficiência visual

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) prorrogou para o dia 30 de outubro o prazo de inscrições para o Concurso Literário 2018, com o tema Bíblia Sagrada: o livro da esperança. Promovido pela SBB e comemorativo ao Ano da Bíblia no Brasil, o concurso de contos e poesias é aberto a pessoas com deficiência visual ou baixa visão, de todas as faixas etárias. Seus objetivos são mobilizar os participantes quanto à importância da Bíblia para a humanidade, estimular a prática da leitura da Bíblia entre os segmentos da sociedade e destacar a relevância dos valores bíblicos para a família e sociedade, além de promover a autonomia da pessoa cega. As inscrições tiveram início em 9 de abril e vão, agora, até 30 de outubro. A divulgação dos premiados acontecerá até o dia 30 de novembro. O regulamento completo está disponível no site www.sbb.org.br.
Nesta edição alusiva ao Ano da Bíblia, o concurso visa destacar a importância deste livro, o mais lido, traduzido e distribuído, no Brasil e no mundo, que é …

Trabalhar é ir à luta!

Por Fernanda Valente
O dia 01 de Maio foi a data escolhida para homenagear todos aqueles que reivindicaram os seus direitos trabalhistas. A primeira manifestação ocorreu com a presença de 500 mil trabalhadores nas ruas de Chicago, dando início a uma greve geral em todos os Estados Unidos, em 1886. Com isso, a França fez uma manifestação anual em homenagem às lutas sindicais de Chicago. Esses fatos tornaram o dia 01 de maio, o dia mundial do trabalhador.  Antes dessas manifestações ninguém exigia Direitos. Os trabalhadores clamaram por melhores condições de trabalhos, além de diminuição do período trabalhado.  Hoje, no Brasil, ainda há pessoas que são manipuladas e servem à escravidão. Sem carteira assinada e sem benefícios que todo trabalhador merece. Vivemos um período que as pessoas não reivindicam mais os seus direitos devido ao medo e à competição. Aprendemos a aceitar o pouco. (Eu mesmo já vivi isso). Cada profissional tem que enxergar o seu próprio valor. Atualmente, temos a Reform…

Dez Comportamentos que destroem os melhores casamentos

Por Fernanda Santiago
Casamentos que parecem não ter mais jeito, onde os cônjuges não se respeitam e até que abusam fisicamente um do outro são assuntos abordados no livro Castelo de Cartas, de Gary Chapman. Autor de outros livros como “As cinco linguagens do amor”, “Agora você está falando a minha linguagem“, “A essência das cinco linguagens do amor”, entre outros... Gary explica em Castelo de Cartas as experiências de casais que estavam com os seus casamentos totalmente destruídos pela falta de comunicação, falta de tempo e principalmente falta de respeito, mas que através de conselho e análise pastoral na vida de cada um, pode descobrir o problema e ajudá-los a serem felizes, e principalmente, restaurados pela mudança. O livro relata em todo o momento que devemos abandonar os mitos, aqueles que dizem que o ambiente determina o nosso estado mental. Um exemplo, será que eu não terei jeito se nasci num ambiente violento, ou o qual meus pais fumavam, me abusaram ou me rejeitaram? Ao cont…