Pular para o conteúdo principal

Série documental inédita Palhaças do Mundo estreia no SescTV


A produção apresenta curtas-metragens que abordam o universo das mulheres palhaças, suas histórias e peculiaridades 

Andréa Macera. Foto: Nossa Produtora.

SescTV estreia a série documental Palhaças do Mundo, que aborda o universo das mulheres palhaças de diferentes países. Composta por 12 episódios – cada um com dois curtas-metragens e duração total de 20 minutos –, a série conta histórias de palhaças, seus personagens, inspirações, comicidade e individualidades. Os curtas têm direção de Manuela Castelo Branco, que também é palhaça, e foram gravados durante oFestival Palhaças do Mundo (antigo Encontro de Palhaças de Brasília), no Distrito Federal, realizado desde 2008, com o intuito de difundir a arte da palhaçaria sob o olhar feminino, e do qual a diretora é idealizadora. As produções começam a ser exibidas no dia 29/3, quinta-feira, a partir das 21h, com os curtas Lila Monti, com a palhaça da Argentina, e Andrea Macera, de São Paulo (assista também em sesctv.org.br/aovivo). 

No curta Lila Monti, a artista argentina revela que sua personagem, a palhaça Una, possui todas suas qualidades e defeitos. “Eu sinto que a Una sou eu. Sou eu quando eu era aquela menina selvagem, que não tinha medo”, comenta. Lila fala sobre a diferença entre palhaço e palhaça. Para ela, ambos buscam a mesma coisa: melhorar o mundo de uma forma inocente e provocadora, comunicando-se e trocando emoções com as pessoas. Porém, a artista acredita que a palhaça é mais adaptável e poética. Lila comenta ainda sobre o uso do nariz vermelho, que, segundo ela, está aliado a um forte desejo, é uma peça que tem o poder de esconder a timidez e a quietude de quem interpreta um palhaço. 

Já no episódio Andréa Macera, a palhaça diz que qualquer pessoa pode se identificar com a sua personagem Mafalda Mafalda. Para Andréa, Mafalda trata de temas ligados ao mundo da mulher, como alcoolismo, crimes e delegacia, mas que tendem a ser exclusivamente masculinos. “É um universo feminino mais trash, mais lado B, mas é feminino”, esclarece. Andréa revela ainda o preconceito sofrido pelas mulheres de sua profissão que, antes, era considerada basicamente masculina.

Além desses filmes, a série Palhaças do Mundo ainda exibirá sempre a partir das 21h, em abrilPepa Plana (Espanha) / Aline Moreno (SP), no dia12; Hilary Chaplain (EUA) / Cida Mendes (MG), no dia 19; e Eva Ribeiro (Portugal) / Manuela Castelo (DF), no dia 26; e em maioGabriela Muñoz (México) / Michele Silveira (SC), no dia 3; e Elke Maria Riedman (Austria) / Gena Leão (RN), no dia 10. 
  
Serviço:
 
Série: Palhaças do Mundo
 
Lila Monti (Argentina)
Classificação Indicativa: Livre
 
Andréa Macera (São Paulo)
Classificação Indicativa: 10 anos
 
Estreia: 29/3, quinta-feira, a partir das 21h
Direção:  Manuela Castela Branco
Duração total: 20’
Produção: Nossa Produtora
Reapresentações: 31/3, sábado, a partir das 20h; 1/4, domingo, a partir das 6h30 e das 13h30; 2/4, segunda-feira, a partir das 22h; 3/4, terça-feira, a partir das 15h30; e 4/4, quarta-feira, a partir das 6h30. 
 
Outros episódios:
 
Pepa Plana (Espanha) / Aline Moreno (SP)
Artistas que participaram do Festival de Palhaças do Mundo, realizado em Brasília, são temas de dois curtas. Pepa Plana, que apresenta a palhaça espanhola, que foi atriz durante 30 anos e já viajou pelo Norte, América do Sul, Europa e África; e Aline Moreno, que traz entrevista com a paulista que começou sua carreira de palhaça na Argentina, com o nome de Pinguína, e depois mudou-se para Barcelona, na Espanha, onde nasceu Donatella. 
12/4, quinta-feira, às 21h
Classificação indicativa: Livre
 
Hilary Chaplain (EUA) / Cida Mendes (MG)
O curta Hillary Chaplain entrevista a palhaça de Nova Iorque – EUA, que faz um espetáculo solo de palhaço e alguns pequenos números de comédia. O curta Cida Mendes traz conversa com a palhaça de Belo Horizonte, que já fez mais de cinco mil apresentações e, há seis anos, circula com o show Tecendo a Prosa. 
19/4, quinta-feira, às 21h
Classificação indicativa: Livre
 
Eva Ribeiro (Portugal) / Manuela Castelo (DF)
O curta Eva Ribeiro mostra conversa com a palhaça portuguesa, que já esteve com seu trabalho em diversos países, como Romênia, Itália, Estados Unidos, Brasil, Espanha, França, Bélgica e Holanda. Ela fala sobre carreira e o universo da palhaça. O curta Manuela Castelo apresenta a palhaça brasiliense, que trabalha há 12 anos no palco. Ela comenta sobre ser palhaça e da importância de sentir paixão pelo ofício.
26/4, quinta-feira, às 21h
Classificação indicativa: Livre
 
Gabriela Muñoz (México) / Michele Silveira (SC)
O curta Gabriela Munõz apresenta essa palhaça mexicana, que interpreta Greta Merengue, extrovertida, livre, potente e criativa. Viajou por países como EUA, Índia, Indonésia, Filipinas, Suécia, Espanha, Inglaterra, França e Geórgia etc. Gabriela interpreta a palhaça Greta Merengue e há dez anos se dedica a esse trabalho, sua personagem investe na palhaçaria do silêncio, uma palhaça muda. O filme Michelle Silveira, traz a interprete da palhaça Barrica, que fala sobre suas influências na palhaçaria como: Néris Colombaioni, Ana Elvira Wuo e mestres do clown, como o palhaço Xuxu e Biriba. 
3/5, quinta-feira, às 21h
Classificação indicativa: Livre
 
Elke Maria Riedman (Áustria) / Gena Leão (RN)
O curta Elke Maria Riedman apresenta a austríaca criadora da palhaça Brenda Feuerle, que faz um espetáculo solo. Em usa bagagem ela traz performances do teatro, ora usa o nariz para marcar a inocência, ora não. O filme Gena Leão mostra a história dessa atriz do Rio Grande do Norte, que nasceu Luzia Efigênia de Menezes. Ela faz um espetáculo em dupla com o Espaguete, seu marido, em sua bagagem fez o palhaço Ferrugem, foi homem e se auto afirmou palhaça mulher. 
10/5, quinta-feira, às 21h
Classificação indicativa: Livre
 
 
Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV 
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/ao vivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv 
E no facebook: https: facebook.com/sesctv


Comentários

Luiz Augusto da Silva disse…
Fernanda, parabéns pela resenha sobre as mulheres palhacas. Enquanto lia a matéria, creio que por estarmos em sintonia pensei nesta poesia por analogia :
http://sonhareplanejar.blogspot.com.br/2018/02/terminou-folia.html
☆☆☆☆☆☆☆☆☆
Espero que goste da comparação.
Feliz tarde!
Beijos no coração. ♡

Postagens mais visitadas deste blog

SBB prorroga as inscrições do Concurso Literário 2018 voltado a pessoa com deficiência visual

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) prorrogou para o dia 30 de outubro o prazo de inscrições para o Concurso Literário 2018, com o tema Bíblia Sagrada: o livro da esperança. Promovido pela SBB e comemorativo ao Ano da Bíblia no Brasil, o concurso de contos e poesias é aberto a pessoas com deficiência visual ou baixa visão, de todas as faixas etárias. Seus objetivos são mobilizar os participantes quanto à importância da Bíblia para a humanidade, estimular a prática da leitura da Bíblia entre os segmentos da sociedade e destacar a relevância dos valores bíblicos para a família e sociedade, além de promover a autonomia da pessoa cega. As inscrições tiveram início em 9 de abril e vão, agora, até 30 de outubro. A divulgação dos premiados acontecerá até o dia 30 de novembro. O regulamento completo está disponível no site www.sbb.org.br.
Nesta edição alusiva ao Ano da Bíblia, o concurso visa destacar a importância deste livro, o mais lido, traduzido e distribuído, no Brasil e no mundo, que é …

Trabalhar é ir à luta!

Por Fernanda Valente
O dia 01 de Maio foi a data escolhida para homenagear todos aqueles que reivindicaram os seus direitos trabalhistas. A primeira manifestação ocorreu com a presença de 500 mil trabalhadores nas ruas de Chicago, dando início a uma greve geral em todos os Estados Unidos, em 1886. Com isso, a França fez uma manifestação anual em homenagem às lutas sindicais de Chicago. Esses fatos tornaram o dia 01 de maio, o dia mundial do trabalhador.  Antes dessas manifestações ninguém exigia Direitos. Os trabalhadores clamaram por melhores condições de trabalhos, além de diminuição do período trabalhado.  Hoje, no Brasil, ainda há pessoas que são manipuladas e servem à escravidão. Sem carteira assinada e sem benefícios que todo trabalhador merece. Vivemos um período que as pessoas não reivindicam mais os seus direitos devido ao medo e à competição. Aprendemos a aceitar o pouco. (Eu mesmo já vivi isso). Cada profissional tem que enxergar o seu próprio valor. Atualmente, temos a Reform…

Dez Comportamentos que destroem os melhores casamentos

Por Fernanda Santiago
Casamentos que parecem não ter mais jeito, onde os cônjuges não se respeitam e até que abusam fisicamente um do outro são assuntos abordados no livro Castelo de Cartas, de Gary Chapman. Autor de outros livros como “As cinco linguagens do amor”, “Agora você está falando a minha linguagem“, “A essência das cinco linguagens do amor”, entre outros... Gary explica em Castelo de Cartas as experiências de casais que estavam com os seus casamentos totalmente destruídos pela falta de comunicação, falta de tempo e principalmente falta de respeito, mas que através de conselho e análise pastoral na vida de cada um, pode descobrir o problema e ajudá-los a serem felizes, e principalmente, restaurados pela mudança. O livro relata em todo o momento que devemos abandonar os mitos, aqueles que dizem que o ambiente determina o nosso estado mental. Um exemplo, será que eu não terei jeito se nasci num ambiente violento, ou o qual meus pais fumavam, me abusaram ou me rejeitaram? Ao cont…