Pular para o conteúdo principal

Conheça alguns aplicativos de acessibilidade para as pessoas com deficiência


Fernanda Valente

A Comunicação através da era digital traz recursos de adaptação, que são conhecidas como as tecnologias assistivas, que são equipamentos, dispositivos, metodologias, práticas e serviços que promovem a funcionalidade e a participação da pessoa com deficiência na sociedade. Isso vai desde pessoas com a mobilidade reduzida até aquelas que são deficientes intelectuais. Visa trabalhar a autonomia e a inclusão das pessoas com deficiência.  O uso de smartphones e celulares facilitam a comunicação. Usar os recursos de aplicativos online que já existem é um excelente caminho a seguir e que cresce a cada dia. Segue alguns modelos já disponíveis:
Para as pessoas com deficiência visual, o aplicativo BlindToll, criado por Joseph Cohen, pesquisador da Universidade de Massachusetts, ajuda a reconhecer objetos. Ele está disponível gratuitamente no Google Play. Outro aplicativo gratuito é o Bemy yes, que ajuda a resolver alguns problemas como ler etiquetas de roupas, rótulos, ou contas. Outro aplicativo gratuito é o Color Id, que reconhece as cores.
Já para as pessoas com deficiência auditiva tem o sistema “Giulia, mãos que falam”, ele facilita a comunicação entre os surdos e as pessoas que não entendem nada de Libras. O sistema consegue identificar os sons do significado dos movimentos de quem está utilizando o aplicativo. Está disponível no Android e foi idealizado na Universidade Federal do Amazonas. Outro aplicativo que traduz os textos para a LIBRAS é o Hand Talk
Para as pessoas com deficiência física existe o aplicativo Guia de Rodas que identifica se um estabelecimento comercial possui acessibilidade ou não, evitando assim possíveis constrangimentos. O Aramuno é um aplicativo para as pessoas com dislexia, dificuldades de aprendizagem ou com deficiência visual. É um jogo que ajuda a pessoa a formar sílabas e isso estimula a aprendizagem. Também há para as pessoas com deficiências múltiplas softwares de detecção ao movimentar a cabeça, mouses e teclados adaptados e acionadores.
Não é só isso, existem outros aplicativos que podem ser utilizados de forma paga. A tendência é crescer o desenvolvimento desses aplicativos. Colocar todos esses mecanismos ao acesso de todos já está se tornando uma realidade e são materiais e recursos que podem muito bem ser adaptados também em escolas.


 Fernanda Valente - Jornalista com especialização em Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Estudou teatro, fazendo parte do Grupo GEXTUS (Grupo Experimental de Teatro da UniSantos). É Instrutora da Libras (Língua Brasileira de Sinais). Ministrou aulas de design gráfico para surdos. Trabalhou como produtora e repórter em alguns programas de TV regionais. Hoje se dedica a trabalhos de comunicação digital e ao blog, defendendo causas inclusivas. Também é cristã e escreve devocionais bíblicas em suas páginas sociais. 




Comentários

Boa noite,minha sintonia.
Parabéns pela utilitária matéria.

Postagens mais visitadas deste blog

Vaginismo: O silêncio de muitas mulheres

Por Fernanda Santiago Valente
Medo. Dor. Relação sexual não consumada e frustrada. São os sintomas mais comuns das mulheres com vaginismo, uma contração vaginal que causa desconforto, dor e dificuldade em obter uma penetração sexual.
Elas não conseguem usar absorvente interno, a ginecologista tem dificuldade em examiná-las e até a introdução de um cotonete no canal da vagina pode causar desconforto insuportável. Elas são as vagínicas, mulheres que tem medo de sexo, dor e pânico ao transar. Para se livrarem do incomodo, buscam tratamento através de terapia psicológica e fisioterapia pélvica. A cura existe, porém, o assunto é pouco explorado até por profissionais da área médica. Muito se fala em sexo, prazer, orgasmo, mas numa roda de amigas, poucas são capazes de confessar que não conseguem consumar a relação sexual. Vagínicas, em geral, passam meses e anos só nas preliminares e muitas vezes o sentimento de vergonha as impede de buscar um tratamento especializado.
Rumo à cura!
O assunto…

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















Seis temas de atualidades que podem cair no Enem

Fique atento aos assuntos que você não pode deixar de saber para o Enem, de acordo com Daniel Pereira Leite, professor do Curso Poliedro
Estudar os principais acontecimentos do Brasil e do mundo é um ponto fundamental para alcançar uma boa nota na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que neste ano ocorre nos dias 4 e 11 de novembro. Questões que envolvem atualidades podem cair nas provas de Filosofia, Sociologia, História, Geografia, Ciências ou mesmo como tema de Redação, que tem um peso representativo na nota final dos candidatos. O professor de Atualidades do Curso Poliedro, Daniel Pereira Leite, aponta que para estudar atualidades os candidatos devem apostar em diversas fontes de informação, como matérias televisivas, sites, jornais e revistas. Além disso, devem estar atentos aos assuntos que envolvem questões sociais. “A tendência das provas que cobram assuntos atuais é verificar o quanto o estudante está informado diante dos acontecimentos mais comentados na mídia”, ind…