Pular para o conteúdo principal

Ler é hábito! Ler é prazer!

Fernanda Santiago Valente
Eu adoro ler, mas isso é um hábito que eu tenho desde criança. Logo que eu aprendi a ler, minha mãe começou a me dar gibis. Eu devorava as histórias da Turma da Mônica. Não sobrava sequer um gibi na banca. Todos os meses, minha mãe comprava todos. Depois dos gibis, já com uns 9 anos, passei a ler a coleção infantojuvenil da vagalume. Já com 13 anos, devorava peças de teatro de Willian Shakespeare, Nelson Rodrigues e Brecht. Foi por causa da minha paixão por leitura que decidi estudar jornalismo, uma fase que aprendi a ler muitos livros de História.
Gosto de ler de tudo, de livros infantis até livros sobre negócios. Quando o livro é bom, eu leio. Se eu não conseguir sair da décima página, paro de ler. Ninguém é obrigado a ler algo que não está gostando ou entendendo. Tem literatura que é chata demais.
Hoje, com a vida agitada que temos, muitas pessoas abrem mão de uma leitura e mal sabem elas que a literatura renova a mente, faz bem à saúde, desenvolve o vocabulário e traz criatividade. Ler é muito bom.
Se você não tem o hábito de ler e quer muito fazer isso, listo aqui algumas dicas:
1. Escolha assuntos que você gosta. Procure um tema que tenha a ver com você
2. Não fique ansioso para terminar logo o livro. Eu nunca termino de ler o livro em apenas um dia.
3. Comece a ler 10 páginas por dia e vá aumentando. Eu leio de 30 a 70 páginas por dia, num horário que reservo para a leitura. Já li uns 15 livros este ano, lembrando que quando acho o livro chato, deixo de lado e pego outro.
4. Anote tudo o que você achar interessante num livro: frases, trechos e ideias.
5. Aproveite! Ler é uma viagem ao desconhecido.  



A melhor coisa é encontrar a verdadeira autoria de alguns pensamentos que rodam pela Internet, sempre com autoria desconhecida. (Do livro "Eu posso", de Patrick Henry Hughes)


Do livro "A festa da insignificância", de Milan Kundera

Gente que só reclama é um saco! (Do livro, Felicidade Crônica, de Matha Medeiros)



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















TDAH: uma forma diferente de ver o mundo

Fernanda Santiago
O TDAH é um transtorno que inclui dificuldade de atenção, hiperatividade e impulsividade. Em geral, os sintomas começam na infância e podem persistir na vida adulta. Por ser um transtorno com característica genética, não tem cura. Porém, antes de rotular qualquer TDAH são pessoas que possuem inteligência e habilidades como as outras.  Achei este vídeo abaixo muito interessante. É muito difícil impor um padrão para o TDAH. Para os educares, seria muito bom prestar atenção na maneira que eles tentam se comunicar. O menininho do vídeo mostra grande interesse pela música. Será que os pais e os educadores estão preparados para perceber as habilidades e o interesse dessas crianças? Vale a pena conferir! Além disso, também há tratamentos através de medicamentos e da psicoterapia. 

Atypical, o que você precisa saber sobre o autismo

Fernanda Santiago Valente Você quer saber um pouco mais como é a vida de um garoto com o transtorno do espectro autista que está entrando na vida adulta? Para isso vale a pena assistir a série Atypical que está na Netflix desde o começo do mês de agosto. Não tem como não se apaixonar pelo personagem Sam, que está na fase de descobertas e quer arranjar uma namorada. É nessa busca pela paixão que se desenrola a história. Vamos entender como funciona a sua personalidade e como a situação afeta aqueles que estão ao seu redor. Algo muito interessante a se observar é a relação dele com a psicóloga. Sam se apaixona por ela. Isso é muito comum acontecer com paciente e profissional de sexos opostos, geralmente os pacientes que tem algum tipo de transtorno sempre se apaixonam por seus psicólogos.


Sam, apresentando os sintomas mais nítidos do espectro autista é um adolescente que tem sentimentos como qualquer outro. A única diferença é que seus sentimentos não são interpretados de forma comum. O ro…