Pular para o conteúdo principal

Filme: A minha canção de Amor

Fernanda Santiago Valente

O roteiro do filme embora pareça um pouco descosturado, apresenta uma fiel mensagem sobre pessoas solitárias que se esbarram com alguma tragédia na vida. Os personagens centrais da história é Jane, uma cantora que ficou paraplégica após um acidente e Joey,  um amigo que conheceu numa clínica psiquiátrica, que apresenta um transtorno mental que pode ser classificado como a esquizofrenia, pois ouve vozes e vê anjos.
A história mostra a não aceitação de Jane por estar nessa condição. Joey, embora perturbado, também foi afetado pelo transtorno após perder toda a sua família. Ele não escolheu isso. No entanto, esses dois solitários se atraem perante suas condições. Podemos sim admitir que deprimidos atraem deprimidos.
O percorrer da história é todo um incentivo de Joey, que faz de tudo para que Jane volte a cantar e a se encontrar com o seu filho que acabou deixando para trás por falta de trabalho e recursos financeiros. Uma carta escondida de Jane, enviada por seu filho para que participe da sua primeira comunhão é o ponto chave para uma mudança e transformação. Joey, mesmo com suas estranhas características é quem a conduz positivamente.
Nesta missão, vários personagens também transtornados por perdas e fracassos vão surgindo pelo caminho. Podemos até chamar de lei da atração. Quem tem algum parente na condição esquizofrênica, logo se identifica. Sem contar que a pessoa que adquire alguma deficiência na fase adulta se não passar por um acompanhamento psicológico, sempre acabará se entregando ao fracasso e a depressão sem enxergar as possibilidades que há pelo caminho. Por que Jane rejeitou a música? Não foi a voz que ela perdeu...
O filme levará o telespectador a refletir durante vários momentos. Alguns poderão estranhar o comportamento de todos os personagens, mas se colocar a empatia em ação, entenderá que é um mundo real, mesmo que não compreenda. A trilha sonora é envolvente e ali é possível notar que a busca por uma nova canção de amor pode valer a pena.


Ficha técnica:

De Olivier Dahan, EUA-França, 2010
Com Forest Whitaker (Joey), Renée Zellweger (Jane Wyatt), Madeline Zima (Billie), Nick Nolte (Caldwell), Elias Koteas (Dean), Annie Parisse (Nora), Chandler Frantz (Devon), Richmond Hoxie (Jeff Nofray)
Argumento e roteiro Olivier Dahan
Fotografia Matthew Libatique
Canções originais Bob Dylan
Produção Légende Films. Blu-ray e DVD Califórnia Filmes.

Cor, 102 min

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terminou a folia!

Terminou a folia;  não tirei a fantasia;  só transmito alegria; nada de melancolia. Sou Palhaço! Meus nervos são de aço. com meus versos,  meus sentimentos disfarço.  Sou Palhaço! Com nariz avermelhado; sapato pontiagudo; roupa colorida: No picadeiro,  a platéia alegro;  não iludo - convenço. Assim, conduzo a vida sem perder o compasso... Sou Palhaço! Sou Palhaço! 
13/02/2018 Luiz Augusto da Silva Olimpia - São Paulo

Os benefícios da caminhada

Fernanda Santiago
Existem inúmeras atividades físicas, mas a caminhada tem a menor taxa de abandono de todos eles. É simples e a mudança positiva que você pode fazer para efetivamente melhorar sua saúde cardíaca. Praticar a caminhada por pelo menos 30 minutos por dia pode ajudá-lo: Reduzir o risco de doença cardíaca coronáriaMelhorar a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangueMelhorar o perfil lipídico no sangueManter o peso corporal e diminuir o risco de obesidadeMelhorar o bem estar mentalReduzir o risco de osteoporoseReduzir o risco de câncer de mama e de cólonReduzir o risco de não insulino-dependente (tipo 2) diabetes

São muitos benefícios para uma atividade tão simples. Se você mora perto da praia, melhor ainda. Se não tem uma praia próxima, procure um parque.  Caminhe, respire fundo e aprecie tudo ao redor. O corpo agradece!

A tradicional sopa de cebola francesa

Fernanda Santiago Valente Quem é que não gosta de uma sopa no tempo frio? Aqui no Brasil, muitos recomendam a sopa de cebola para quem está com dor de garganta ou gripado. Eu vou além. Amo todos os tipos de cremes e sopas, mas a de cebola tem um sabor especial. A sopa tradicional da cozinha parisiense merece toda a atenção.Algumas lendas da França afirmam que a sopa de cebola foi inventada por Louis XV, quando passavam por uma crise. Ele só tinha cebolas, manteiga e champanhe como alimentos, assim como toda a população de baixa renda. A receita ganhou novos temperos ao decorrer dos anos e conseguiu conquistar todo o mundo, principalmente nós brasileiros, pois amamos nos deliciar com uma sopinha nos períodos frios, não é mesmo? Ainda nas tradições parisienses, a sopa serve para alimentar também as emoções do dia do tão sonhado casamento. Eles tem o hábito de consumir a sopa após a festa. Isso se repete também em grandes eventos. Se por acaso acordarem de ressaca, também consomem a sopa,…