Não espere a perfeição das pessoas

Fernanda Valente

Viver pela graça significa reconhecer toda a história da minha vida, o lado bom e o ruim. Ao admitir o meu lado escuro, aprendo quem sou e o que a graça de Deus significa. Como colocou Thomas Merton: “Um santo não é alguém bom, mas alguém que experimenta a bondade de Deus” (O Evangelho Maltrapilho, Brenan Manning, pág. 25)


Um ato de mudança começa na gente e não nos outros. Todos nós possuímos fraquezas e falhas em áreas das nossas vidas. A Bíblia diz que não existe uma pessoa justa sequer, pois todos pecaram e carecem da Glória de Deus (Romanos 3. 10,23). Se carecermos da Glória de Deus, é fato entregarmos nas mãos DELE o nosso ponto fraco. Muitas vezes não reconhecemos nossas falhas, erros, deslizes... nossa fuga é sempre colocar a culpa dos nossos erros em todos aos nosso redor, mas não é assim que deve ser.
Não posso jamais exigir do outro a mudança que não consigo fazer em mim. Deus, muitas vezes nos joga no meio de uma cova para que possamos enxergar que necessitamos da sua preciosa graça todos os dias das nossas vidas. É dentro de uma cova que você analisa toda a podridão do seu interior e reconhece que para alcançar as mãos de Deus é necessária a mudança.
Quando você assume essa consciência, a bondade de Deus toma conta do seu coração. Você faz a opção de melhorar as atitudes que atrapalham a sua vida. A mudança incomoda, mas em nome do amor, acontece. Algumas mudanças demoram, outras são rápidas. Deus conhece o tempo e o momento de cada um. Existem aqueles que são “perfeccionistas”, mas a nossa perfeição, jamais será a de Deus. O nosso perfeccionismo exige demais dos outros e não é isso o que Deus quer. Temos que amar, entender, respeitar e reconhecer que possuímos falhas. O ser humano vive em construção. Só um templo demolido reconhece que é estudando a plantação que se consegue erguer um novo. Esta é a transformação, a verdadeira e perfeita bondade de Deus. Lembre-se: cuide muito bem do templo. Assim que surgir uma rachadura, trate de passar massa corrida. Não deixe o templo desabar novamente. É aí que você enxerga que o templo é lindo, mas não é perfeito. Trate e cuide de todas as falhas.

Comentários