Pular para o conteúdo principal

Projeto Guri: Música auxilia no desenvolvimento da criança com TEA

Experiência das crianças com instrumentos musicais mostrou melhorias na fala, na sociabilidade e no sistema motor

Hoje, dia 02 de abril, celebra-se o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. A data chama atenção para o Transtorno do Espectro Autista (TEA), um conjunto de síndromes que se caracteriza por problemas no desenvolvimento da linguagem, nos processos de comunicação, na interação e comportamento social da criança. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que, hoje, 70 milhões de pessoas no mundo possuem algum tipo de autismo. No Brasil, esse número chega a 2 milhões. Com causas ainda incertas, o TEA não possui cura, mas as crianças com o transtorno podem ser reabilitados e tratadas para que possam se adequar ao convívio social da melhor forma possível.
Entre as terapias, a música é uma das indicadas para auxiliar no desenvolvimento dos autistas. Segundo a terapeuta ocupacional, Dayane Sanches de Castro, do Grupo São Cristóvão Saúde, estudos mostram que a musicoterapia abre o canal de comunicação em diversos sentidos sensoriais, “além de auxiliar na atenção e autonomia, desenvolvendo suas habilidades de comunicação, cognitivas, motoras e sociais”, completa. E o Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, é um desses lugares procurados por responsáveis de crianças e jovens com TEA. O programa recebe jovens de 6 a 18 anos independentemente de qualquer deficiência, síndrome ou transtorno. Segundo pesquisa de perfil dos alunos, dos cerca de 47 mil alunos atendidos pelo Guri, 857 possuíam alguma deficiência. Destes, 8,4% têm algum tipo de Transtorno do Espectro Autista.
“O TEA apresenta uma multiplicidade de gradações. O que quer dizer que cada criança atingida pelo autismo tem características muito particulares que devem ser observadas pelos educadores para o seu melhor desempenho. É por esse motivo que contamos, na nossa equipe pedagógica, com alguns profissionais engajados com o tema”, pontua a gerente pedagógica da Amigos do Guri, Valéria Zeidan.
A trajetória de Maria Clara Oliveira, 11 anos, mostra como a música pode auxiliar no processo de desenvolvimento. Filha única, Maria Clara teve dificuldades com a fala até os 9 anos. Após a investigação de vários profissionais de saúde, a mãe, Maria de Fátima Oliveira, recebeu o diagnóstico do Transtorno do Espectro do Autismo. Foi a própria filha que se interessou pela música ao tomar conhecimento do Guri, mas a mãe acreditava que a dificuldade motora seria um impeditivo. Há um ano no Projeto, a aluna de violoncelo do Polo São Roque se esforça cada vez mais para avançar nos níveis de aprendizado. “Faz pouco tempo que ela voltou a falar e ainda assim se comunica com todos no Guri, faz amizade. No começo, ela gritava na aula, era muito hiperativa e tímida. Agora, está centrada, disciplinada e se esforça cada vez mais por conta da dificuldade motora”, comemora Maria de Fátima.
O aluno João Vitor de Souza, 13 anos, foi diagnosticado com TEA aos 7 anos. Os pais encontraram na musicoterapia um apoio para o desenvolvimento do garoto, que sempre gostou de música, inclusive clássica, mas nunca suportou barulho. Mesmo com a resistência de João, os pais insistiram e incentivaram sua entrada no Projeto Guri. Hoje, ele estuda percussão no Polo Itararé. “Sinto que a música mudou sua autoestima, ele sente que está fazendo algo especial e eu o recordo sempre que esse desafio o torna corajoso para investir cada vez mais em seu potencial próprio”, conta a mãe, Márcia Jesus de Souza. 
João se desenvolveu tanto que já faz parte de uma turma avançada. Socializa com os colegas e até ajuda quem está com dificuldade. O educador do adolescente, Alan Lessa, conta que o menino também o ensina: “Aprendo com ele em cada aula e dou mais atenção para que ele esteja no ritmo dos outros alunos e não desanime. Parte de seu aprendizado é muito rápida. Só preciso dar uma atenção maior na parte teórica e tentar mantê-lo sempre focado”, pontua o educador.
“É nas relações entre os diferentes que construímos nossa visão de mundo em sociedade. Ao longo de 22 anos de experiência, utilizando salas de ensino mistas, coletivas e inclusivas, percebemos o quanto é fundamental e saudável para o desenvolvimento humano equilibrado esta convivência”, analisa a gerente de Desenvolvimento Social da Amigos do Guri, Fabiola Formicola.

Em Santos existem dois Pólos de Atendimento:

Polo Santos – Zona Noroeste
Endereço: Av. Afonso Schimit, s/nº, Zona Noroeste - Santos/SP
CEP: 11013-552
Telefone (13) 3299-1663
Horário das Aulas: terças e quintas-feiras, das 8h às 12h
E-mail polo.zonanoroeste@gurionline.com.br
Cursos Oferecidos: Violão, Clarinete, Percussão, Saxofone e Flauta transversal
Apoio / Patrocínio
Regional Guri - São Paulo -  Tel.: (11) 2615-4956 / 2615-4986 

Polo Regional Santos
Endereço: Cadeia Velha. Pça. dos Andradas, s/nº, Centro, Santos/SP
CEP: 11013-552
Telefone: (13) 3219-1311
Horário das Aulas 2ª a 6ª - 8h às 12h e 13h às 17h
E-mail polo.santos@gurionline.com.br
Cursos Oferecidos: Percussão, Violão, Iniciação Musical, Violino, Viola, Violoncelo, Contrabaixo acústico e Coral juvenil

Obs: As inscrições são feitas a cada semestre e a previsão para novas inscrições é em junho. 

Acesse o site do Projeto e fique por dentro de mais informações: 


Existem outras cidades do litoral que também atendem o Projeto: São Vicente, Peruíbe, Itanhaém, Mongaguá e Ilha Comprida

Quem quiser ajudar o projeto é só acessar este link: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Fonte: Assessoria

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seres Especiais

Por Luiz Augusto da Silva

Devemos sempre insistir na busca dos ideais. Perseverar sem cansaço, até às metas finais. Recorrermos aos meios, humanos e materiais. Confiantes no apoio, dos Seres Especiais. Sermos sempre otimistas, acreditando nas forças divinas. Fortalecidos pelo altruísmo, impulsos que reanimam. Felizmente neste mundo, os amigos aparecem. Aumentam as energias, que aos idealistas fortalecem. Agosto /2008 (Modificado)

"CONVERSANDO SOBRE" Mindfulness e como ele atua nos Transtornos de Humor e na qualidade de vida

Fernanda Valente
Amanhã, dia 08 de agosto, às 19h30, acontecerá mais uma palestra da ABRATA (Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos). Desta vez, quem estará ministrando é a psicóloga clínica Vivian Vargas de Barros que falará sobre o que é o Mindfulness e como ele atua nos Transtornos de Humor e na qualidade de vida. A palestra acontecerá na UNISANTA – Universidade Santa Cecília, Bloco M- Térreo, em Santos.  A palestra é gratuita e para participar é necessário se inscrever pelo Whatsapp (13) 997128692 ou e- mail abratalitoral@abrata.org.br. Não haverá fornecimento de Certificado para estudantes. Vivian Vargas de Barros é Psicóloga clínica, sócia fundadora do Centro Paulista de Mindfulness, com certificação em Mindfulness-Based Relapse Prevention pela Universidade da Califórnia - Escola de Medicina de San Diego e Treinamento Avançado pelo C.A.T.S. Warminster – Inglaterra. Tem Mestrado e doutorado com pesquisas na área de Mindfulness. É Pesqu…

Seis temas de atualidades que podem cair no Enem

Fique atento aos assuntos que você não pode deixar de saber para o Enem, de acordo com Daniel Pereira Leite, professor do Curso Poliedro
Estudar os principais acontecimentos do Brasil e do mundo é um ponto fundamental para alcançar uma boa nota na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que neste ano ocorre nos dias 4 e 11 de novembro. Questões que envolvem atualidades podem cair nas provas de Filosofia, Sociologia, História, Geografia, Ciências ou mesmo como tema de Redação, que tem um peso representativo na nota final dos candidatos. O professor de Atualidades do Curso Poliedro, Daniel Pereira Leite, aponta que para estudar atualidades os candidatos devem apostar em diversas fontes de informação, como matérias televisivas, sites, jornais e revistas. Além disso, devem estar atentos aos assuntos que envolvem questões sociais. “A tendência das provas que cobram assuntos atuais é verificar o quanto o estudante está informado diante dos acontecimentos mais comentados na mídia”, ind…