Pular para o conteúdo principal

Cataratas do Iguaçu: Qual o lado mais bonito?

Se você está pensando em visitar Foz do Iguaçu, vá agora. É a melhor conexão com Deus que você pode ter na vida. Os sons das cachoeiras ainda soam nos meus ouvidos.  Fui há exatamente um ano. Época de grande cheia. Estava lindo. Eu e meu esposo nos aventuramos a levar o nosso filho, que na época estava com 1 ano e quatro meses. Levei o bebê Canguru e caminhamos mais de 7 quilômetros entre as Cataratas do Brasil e Argentina.
Tem o lado mais bonito? Não! Tem que fazer o passeio completo. No lado Argentino, fomos até a garganta do diabo. Realmente, é incrível. O Parque do lado Argentino é mais organizado: tem trenzinho, para levar os visitantes até as trilhas e caso prefiram ir a pé, disponibilizam de carrinhos para os bebês.
Tem um Restaurante no meio do parque. É uma ótima pedida para quem quer comer a deliciosa picanha argentina. Além disso, oferece uma mesa de doces toda incrementada.
No lado brasileiro, a visão das quedas é exuberante. Também tem restaurantes. Ah, vale à pena lembrar, que nos dois lados dos parques existem quatis espalhados para todos os lados. Eles roubam comida. Por isso, fiquem atentos e não tentem arranjar uma briga com eles. As unhadas dos bichinhos são perigosas.
Nas trilhas brasileiras, você verá todas as quedas, já nas trilhas da Argentina você passa pelo meio delas, tendo uma visão por baixo das quedas. Encontrará pelo caminho, alguns macacos. Para quem ama o contato direto com a natureza é lindo de se ver.
Quem tem crianças, não pode deixar jamais de visitar o Parque das Aves. Os tucanos, araras, ficam soltos e podem até pousar em você para tirar uma foto. Dependendo do hotel que ficar, poderá desfrutar de alguns serviços, como compras no Paraguai, visita ao bar do gelo, na Argentina e compras no free shop.
 Quem estiver no centro de Foz de Iguaçu, no Brasil, não pode deixar de visitar a Churrascaria do Gaúcho. O melhor churrasco que já experimentei na vida! Além de oferecer um precinho que cabe no bolso de todos. Excelente atendimento. Sobremesa à vontade! Confira a página deles no facebook: https://www.facebook.com/churrasdogaucho


Obs: Não é um passeio para fazer com crianças. Se tiver um ano, ainda dá pra caminhar. Depois dessa idade, recomendo a partir dos 5 anos. Leve água, repelente, bolachinhas para beliscar pelo caminho. A caminhada é longa. Ah, e tire muitas, muitas fotos. 








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Filme: A minha canção de Amor

Fernanda Santiago Valente
O roteiro do filme embora pareça um pouco descosturado, apresenta uma fiel mensagem sobre pessoas solitárias que se esbarram com alguma tragédia na vida. Os personagens centrais da história é Jane, uma cantora que ficou paraplégica após um acidente e Joey,  um amigo que conheceu numa clínica psiquiátrica, que apresenta um transtorno mental que pode ser classificado como a esquizofrenia, pois ouve vozes e vê anjos. A história mostra a não aceitação de Jane por estar nessa condição. Joey, embora perturbado, também foi afetado pelo transtorno após perder toda a sua família. Ele não escolheu isso. No entanto, esses dois solitários se atraem perante suas condições. Podemos sim admitir que deprimidos atraem deprimidos. O percorrer da história é todo um incentivo de Joey, que faz de tudo para que Jane volte a cantar e a se encontrar com o seu filho que acabou deixando para trás por falta de trabalho e recursos financeiros. Uma carta escondida de Jane, enviada por seu…

Renascer é aprender

Hoje mesmo com o céu nublado, o sol não está ofuscado.
Observo no jardim do meu quintal:
_ rosas vermelhas, lírios brancos, hortênsias e a coroa Imperial. 
Fico encantado pelo milagre da vida:
- benevolência divinal. 
Os pardais anunciam o amanhecer.
Este  espetáculo matinal indica que:
- em cada alvorecer há o renascer.
Que no teatro da vida, a verdadeira arte:
é a arte de saber viver.
Viver para aprender.

31/10/2011
Luiz Augusto da Silva

Obs: Shakespeare dizia, a vida é a única peça que não permite ensaios. Então, a arte da vida é viver! (Fernanda)

Obra infantil da brasileira Zia Stuhaug levanta a importância da educação e incentivo à leitura nas crianças

A doce obra “A galinha Suruca da Dona Georgina” conta uma história apaixonante e educativa sobre uma galinha da Angola que decide fugir de casa porque não quer ir à escola. Suruca chegou em um navio a vapor. Dona Georgina lhe deu casa, comida e muito amor. A galinha fez novos amigos e estava feliz com a nova vida, mas sua dona queria que ela estudasse e a matriculou na escola. Suruca não gosta nem um pouco disso e foge, mas problemas fazem parte de sua jornada. Será que ela conseguirá encontrar o caminho de volta para casa? Com ilustrações coloridas e atrativas, os pequenos leitores têm a chance de se deliciar com uma trama divertida, e ao mesmo tempo aprender uma lição indispensável: a importância do estudo. “Então, Dona Georgina comprou cadernos, lápis, apontador e um livro de aventura. Colocou tudo em uma mochila e, falando sem parar, entregou-a a Suruca. Dona Georgina não sabia ler nem escrever, mas fazia gosto que Suruca estudasse (p. 22) Zia Stuhaug, autora renomada, usa uma linguag…