Pular para o conteúdo principal

Questões sobre o meio ambiente são discutidas no terceiro episódio da série Galáxias - Olhares Sobre o Brasil


Ailton Krenak (líder indígena). Foto: Divulgação.

Terras indígenas, floresta, rios, agronegócio, endividamento ecológico, e ambiente versus mercado são alguns dos temas discutidos em Meio Ambiente, terceiro episódio da série Galáxias – Olhares Sobre o Brasil, que o canal SescTV apresenta no dia 9/9, quarta, às 21h. Dirigida por Isa Grinspum Ferraz, a série - que debate diversos assuntos, como meio ambiente, mídia e educação - exibe um episódio inédito todas as quartas-feiras, às 21h, totalizando 12 programas, com 26’ cada. A produção é do SescTV em parceria com o Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB) - que disponibilizou seu acervo para pesquisas e imagens de obras de arte.

Para discutir os temas, foram convidadas 15 personalidades. São acadêmicos, pensadores, cientistas, escritores e artistas, como o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro; o músico, compositor e ensaísta José Miguel Wisnik, o rapper Emicida, o arquiteto Paulo Mendes da Rocha e a geneticista Mayana Zatz. Fotos do coletivo de jornalismo alternativo Mídia Ninja e vídeos de Cao Guimarães ilustram os depoimentos.   A trilha sonora é do DJ Dolores.

No episódio Meio Ambiente, o líder indígena Ailton Krenak demonstra a sua preocupação com o agronegócio. “Daqui a pouco a gente não tem mais mosquitos, abelhas e nem gafanhotos”.  O rapper Emicida acredita que a vida nas cidades afasta as pessoas do contato com a natureza. “A primeira coisa que a gente faz com a terra é botar cimento em cima, e a gente vai se deligando da terra”, explica.

Krenak chama a atenção para pessoas que veem o rio apenas como gerador de energia, calculando seus megawatts. “Aquele rio tem uma identidade”. Já o cineasta e crítico Kleber Mendonça Filho expõe sua tristeza ao falar de Recife – PE, onde a cidade construiu seus arranha-céus de costas para o Rio Capibaribe, usando-o como fossa.

E o futuro, como será? O antropólogo Eduardo Viveiro de Castro, pensa que há uma aposta contra o que está por vir e um endividamento ecológico. “Uma espécie de cartão de crédito, só que em cima do futuro, das próximas gerações", esclarece. “O Brasil jogou fora seu papel de liderança mundial na questão ambiental”, comenta o antropólogo e ensaísta Antônio Risério. Para ele, falta controle.

O programa também traz depoimentos do sociólogo Jessé Souza, que fala sobre o Brasil da desigualdade; do jornalista Mário Magalhães, sobre a falta de esgoto nas residências como tragédia ambiental; do curador e crítico de arte Moacir dos Anjos, sobre o meio ambiente, progresso e destruição; do dirigente do MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra, Jaime Amorim, sobre o modelo do agronegócio; e do filósofo e ensaísta Francisco Bosco, sobre a importância da questão do índio hoje.
           

SERVIÇO:

Galáxias – Olhares sobre o Brasil
Meio Ambiente
Estreia: 9/9, quarta, às 21h
Reapresentações: 10/9, quinta, às 14h30; 11/9, sexta, às 17h; 12/9, sábado, às 20h; 13/9, domingo, às 14h e às 22h30; 14/9, segunda, às 9h; e 15/9, terça, às 12h.

Classificação indicativa: Livre

Direção: Isa Grinspum Ferraz
Produção: Texto e Imagem
Duração: 26’

Temas dos 12 episódios de Galáxias - Olhares Sobre o Brasil
•          Cidades
•          Indivíduos e Comportamento
•          Meio Ambiente
•          Mídia
•          Educação
•          Produção Estética
•          Movimentos Sociais
•          Política
•          Economia
•          Ciência e Universidade
•          Identidade Nacional
•          Brasil no Mundo


Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/aovivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv
E no facebook: https: facebook.com/sesctv


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ninguém pode limitar os seus sonhos

Por Fernanda Valente


E se uma garotinha surda decidir ser bailarina? Quem impedirá? Estamos aqui para incluir e transformar. Isso é o que você poderá conferir ao assistir o curta-metragem de animação Tamara, produzida e criada por House Boat Animation. O filme é muito interessante para passar em sala de aulas para explicar a diversidade às crianças. Está disponível na Internet e serve como ferramenta para promover valores como respeito e empatia. Tamara é uma garotinha surda que quer ser bailarina. Qual é a barreira que os professores e os alunos podem tirar disso?

Fernanda Valente - Jornalista com especialização em Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Estudou teatro, fazendo parte do Grupo GEXTUS (Grupo Experimental de Teatro da UniSantos). É Instrutora da Libras (Língua Brasileira de Sinais). Ministrou aulas de design gráfico para surdos. Trabalhou como produtora e repórter em alguns programas de TV regionais. Hoje se dedica a trabalhos de comunicação digital e ao …

Dois filmes sobre deficiência física para assistir no dia dos namorados

Por Fernanda Valente
Trago hoje dois filmes para reflexão. Como eu era antes de você é um filme que mexe com as nossas emoções. Porém, foge de toda a ideia que tratamos sobre a inclusão. Penso que o personagem na história, Will, que é tetraplégico joga fora tudo o que estamos vendo como evolução nos dias de hoje. A deficiência física é tratada como um caos, como algo sem solução, sem esperança, sem fé... É jogar fora todo o amor de Louisa. Veja o filme e entenda a minha frustração.



Já o filme Ferrugem e Osso, que também trata de um romance mostra uma construção rica e verdadeira de uma pessoa que adquire a deficiência física após um acidente. Vai mostrar a depressão, a adaptação, aceitação e novas possibilidades de vida. Não acabou. Há possibilidades. Há vida!



Feliz dia dos Namorados! Deixo abaixo uma linda poesia pessoal do meu amigo poeta Luiz Augusto que fala sobre construção familiar. 

O Cravo e a Rosa

Ainda um jovem cravo Uma rosa encontrei Com pétalas aveludadas Por ela me encantei
No j…

Estações do Ano

Nos vastos campos verdejantes Desabrocham flores silvestres Que com variadas tonalidades Dão vida!À linda paisagem agreste.
É tempo da primavera... Colorida estação... Que enfeita a natureza À espera do verão:
Espetáculo tropical Que ocorre cada ano Para que no ato final Caiam as folhas no outono.
Este ciclo "vicioso" O inverno encerrará Para que lindas flores Voltem aos jardins enfeitar!
Autor:Luiz Augusto da Silva Olímpia- São Paulo- Brasil Data:20/03/2011
Afinal, porque as folhas caem... Sabem?
Um abraço fraterno à espera do inverno...