Pular para o conteúdo principal

Questões sobre o meio ambiente são discutidas no terceiro episódio da série Galáxias - Olhares Sobre o Brasil


Ailton Krenak (líder indígena). Foto: Divulgação.

Terras indígenas, floresta, rios, agronegócio, endividamento ecológico, e ambiente versus mercado são alguns dos temas discutidos em Meio Ambiente, terceiro episódio da série Galáxias – Olhares Sobre o Brasil, que o canal SescTV apresenta no dia 9/9, quarta, às 21h. Dirigida por Isa Grinspum Ferraz, a série - que debate diversos assuntos, como meio ambiente, mídia e educação - exibe um episódio inédito todas as quartas-feiras, às 21h, totalizando 12 programas, com 26’ cada. A produção é do SescTV em parceria com o Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB) - que disponibilizou seu acervo para pesquisas e imagens de obras de arte.

Para discutir os temas, foram convidadas 15 personalidades. São acadêmicos, pensadores, cientistas, escritores e artistas, como o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro; o músico, compositor e ensaísta José Miguel Wisnik, o rapper Emicida, o arquiteto Paulo Mendes da Rocha e a geneticista Mayana Zatz. Fotos do coletivo de jornalismo alternativo Mídia Ninja e vídeos de Cao Guimarães ilustram os depoimentos.   A trilha sonora é do DJ Dolores.

No episódio Meio Ambiente, o líder indígena Ailton Krenak demonstra a sua preocupação com o agronegócio. “Daqui a pouco a gente não tem mais mosquitos, abelhas e nem gafanhotos”.  O rapper Emicida acredita que a vida nas cidades afasta as pessoas do contato com a natureza. “A primeira coisa que a gente faz com a terra é botar cimento em cima, e a gente vai se deligando da terra”, explica.

Krenak chama a atenção para pessoas que veem o rio apenas como gerador de energia, calculando seus megawatts. “Aquele rio tem uma identidade”. Já o cineasta e crítico Kleber Mendonça Filho expõe sua tristeza ao falar de Recife – PE, onde a cidade construiu seus arranha-céus de costas para o Rio Capibaribe, usando-o como fossa.

E o futuro, como será? O antropólogo Eduardo Viveiro de Castro, pensa que há uma aposta contra o que está por vir e um endividamento ecológico. “Uma espécie de cartão de crédito, só que em cima do futuro, das próximas gerações", esclarece. “O Brasil jogou fora seu papel de liderança mundial na questão ambiental”, comenta o antropólogo e ensaísta Antônio Risério. Para ele, falta controle.

O programa também traz depoimentos do sociólogo Jessé Souza, que fala sobre o Brasil da desigualdade; do jornalista Mário Magalhães, sobre a falta de esgoto nas residências como tragédia ambiental; do curador e crítico de arte Moacir dos Anjos, sobre o meio ambiente, progresso e destruição; do dirigente do MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra, Jaime Amorim, sobre o modelo do agronegócio; e do filósofo e ensaísta Francisco Bosco, sobre a importância da questão do índio hoje.
           

SERVIÇO:

Galáxias – Olhares sobre o Brasil
Meio Ambiente
Estreia: 9/9, quarta, às 21h
Reapresentações: 10/9, quinta, às 14h30; 11/9, sexta, às 17h; 12/9, sábado, às 20h; 13/9, domingo, às 14h e às 22h30; 14/9, segunda, às 9h; e 15/9, terça, às 12h.

Classificação indicativa: Livre

Direção: Isa Grinspum Ferraz
Produção: Texto e Imagem
Duração: 26’

Temas dos 12 episódios de Galáxias - Olhares Sobre o Brasil
•          Cidades
•          Indivíduos e Comportamento
•          Meio Ambiente
•          Mídia
•          Educação
•          Produção Estética
•          Movimentos Sociais
•          Política
•          Economia
•          Ciência e Universidade
•          Identidade Nacional
•          Brasil no Mundo


Para sintonizar o SescTV:
Canal 128, da Oi TV
Ou consulte sua operadora
Assista também online em sesctv.org.br/aovivo
Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv
E no facebook: https: facebook.com/sesctv


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os benefícios da caminhada

Fernanda Santiago
Existem inúmeras atividades físicas, mas a caminhada tem a menor taxa de abandono de todos eles. É simples e a mudança positiva que você pode fazer para efetivamente melhorar sua saúde cardíaca. Praticar a caminhada por pelo menos 30 minutos por dia pode ajudá-lo: Reduzir o risco de doença cardíaca coronáriaMelhorar a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangueMelhorar o perfil lipídico no sangueManter o peso corporal e diminuir o risco de obesidadeMelhorar o bem estar mentalReduzir o risco de osteoporoseReduzir o risco de câncer de mama e de cólonReduzir o risco de não insulino-dependente (tipo 2) diabetes

São muitos benefícios para uma atividade tão simples. Se você mora perto da praia, melhor ainda. Se não tem uma praia próxima, procure um parque.  Caminhe, respire fundo e aprecie tudo ao redor. O corpo agradece!

Terminou a folia!

Terminou a folia;  não tirei a fantasia;  só transmito alegria; nada de melancolia. Sou Palhaço! Meus nervos são de aço. com meus versos,  meus sentimentos disfarço.  Sou Palhaço! Com nariz avermelhado; sapato pontiagudo; roupa colorida: No picadeiro,  a platéia alegro;  não iludo - convenço. Assim, conduzo a vida sem perder o compasso... Sou Palhaço! Sou Palhaço! 
13/02/2018 Luiz Augusto da Silva Olimpia - São Paulo

A tradicional sopa de cebola francesa

Fernanda Santiago Valente Quem é que não gosta de uma sopa no tempo frio? Aqui no Brasil, muitos recomendam a sopa de cebola para quem está com dor de garganta ou gripado. Eu vou além. Amo todos os tipos de cremes e sopas, mas a de cebola tem um sabor especial. A sopa tradicional da cozinha parisiense merece toda a atenção.Algumas lendas da França afirmam que a sopa de cebola foi inventada por Louis XV, quando passavam por uma crise. Ele só tinha cebolas, manteiga e champanhe como alimentos, assim como toda a população de baixa renda. A receita ganhou novos temperos ao decorrer dos anos e conseguiu conquistar todo o mundo, principalmente nós brasileiros, pois amamos nos deliciar com uma sopinha nos períodos frios, não é mesmo? Ainda nas tradições parisienses, a sopa serve para alimentar também as emoções do dia do tão sonhado casamento. Eles tem o hábito de consumir a sopa após a festa. Isso se repete também em grandes eventos. Se por acaso acordarem de ressaca, também consomem a sopa,…