Pular para o conteúdo principal

Como construir relacionamentos estruturados e saudáveis?

Sidneia Freitas

No mundo de pessoas que assumem cada vez mais personalidades marcantes, que batalham por independência, traçam sonhos e buscam acima de tudo o bem-estar tem sido difícil construir relacionamentos duradouros.
Há quem diga que os namoros e casamentos têm se tornado descartáveis, mas a realidade é que hoje as pessoas têm um poder maior de decidir sobre a própria vida . Se um casal não anda na mesma direção e não conseguem ajustar esse ponto importante da relação, pode gerar um desgaste muitas vezes irreversível para o relacionamento.
Existe fórmula mágica para encontrar o grande amor da vida? Existe uma pessoa ideal? Será que vou encontrar alguém que me ame acima de todos os meus defeitos? Para todas as seguintes perguntas, eu diria que NÃO.

Vamos refletir alguns pontos que envolvem um relacionamento:

·         Personalidades: é louvável uma pessoa que tenha sua personalidade muito bem formada, mas lembre-se que ninguém é obrigado a ter as mesmas opiniões, modo de ver o mundo ou pensar que você. Os conflitos de opiniões geram muito desgaste, então reflita e tente entender o lado o outro e mesmo que não concorde, respeite!

·         Objetivos: todo casal deve traçar seus objetivos. Não precisam ser objetivos tão sérios como planejar um casamento no primeiro mês de namoro, mas troquem experiências e tracem objetivos, nem que seja uma viagem para aquela cidade que desejam conhecer, ou um produto que desejam comprar, guardar um dinheiro para um passeio.

·         Individualidade: mesmo em um relacionamento, qualquer pessoa gosta de ter o seu momento, para assistir um filme que gosta, ler um livro, cozinhar ou qualquer outro lazer. É importante respeitar o espaço do outro e às vezes deixá-lo consigo mesmo.

·         Família e amigos: família e amigos também precisam da atenção do casal, procure se sentir parte das pessoas que o seu parceiro/parceira ama. Para ele/ela é importante alguém que agregue e não o/a leve para longe das pessoas já presentes na vida dele/dela.

·         Ciúmes: em um relacionamento existe o ciúme inofensivo que é aquele que vem como uma resposta protetora a um fator externo que possa ameaçar a estabilidade e o ciúme patológico que faz com que o parceiro se distancie das relações de amizade, trabalho em busca de diminuir os desentendimentos com o outro e achar uma solução para o relacionamento. É importante confiar no outro e na história que vocês constroem juntos.

·         Rotina: depois de algum tempo de namoro, alguns casais se incomodam com a rotina tomada pelo namoro, ou seja, todo final de semana as coisas são as mesmas e não há mais novidades. Nunca deixe de surpreender seu parceiro com um gesto de carinho, um convite para um jantar diferente, um passeio inusitado, uma simples flor, caixa de chocolates ou até mesmo uma mensagem romântica. Todo mundo gosta de lembrar que é amado!

·         Amigos: é preciso ver no companheiro ou companheira um grande parceiro para os bons e maus momentos. Para dar risada, curtir um final de semana, mas também para compartilhar angústias tristezas e também para diminuí-las.

Pode parecer clichê, porém amor é o princípio básico para qualquer relacionamento amoroso, mas é preciso cuidar diariamente da relação e ajustar sempre que necessário. Caso contrário o desgaste será inevitável e uma possível parceria positiva é interrompida.

*Sidneia Freitas é psicóloga, neuropsicóloga e sócia-fundadora da Clínica Sintropia


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seres Especiais

Por Luiz Augusto da Silva

Devemos sempre insistir na busca dos ideais. Perseverar sem cansaço, até às metas finais. Recorrermos aos meios, humanos e materiais. Confiantes no apoio, dos Seres Especiais. Sermos sempre otimistas, acreditando nas forças divinas. Fortalecidos pelo altruísmo, impulsos que reanimam. Felizmente neste mundo, os amigos aparecem. Aumentam as energias, que aos idealistas fortalecem. Agosto /2008 (Modificado)

Ninguém pode limitar os seus sonhos

Por Fernanda Valente


E se uma garotinha surda decidir ser bailarina? Quem impedirá? Estamos aqui para incluir e transformar. Isso é o que você poderá conferir ao assistir o curta-metragem de animação Tamara, produzida e criada por House Boat Animation. O filme é muito interessante para passar em sala de aulas para explicar a diversidade às crianças. Está disponível na Internet e serve como ferramenta para promover valores como respeito e empatia. Tamara é uma garotinha surda que quer ser bailarina. Qual é a barreira que os professores e os alunos podem tirar disso?

Fernanda Valente - Jornalista com especialização em Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Estudou teatro, fazendo parte do Grupo GEXTUS (Grupo Experimental de Teatro da UniSantos). É Instrutora da Libras (Língua Brasileira de Sinais). Ministrou aulas de design gráfico para surdos. Trabalhou como produtora e repórter em alguns programas de TV regionais. Hoje se dedica a trabalhos de comunicação digital e ao …

Dois filmes sobre deficiência física para assistir no dia dos namorados

Por Fernanda Valente
Trago hoje dois filmes para reflexão. Como eu era antes de você é um filme que mexe com as nossas emoções. Porém, foge de toda a ideia que tratamos sobre a inclusão. Penso que o personagem na história, Will, que é tetraplégico joga fora tudo o que estamos vendo como evolução nos dias de hoje. A deficiência física é tratada como um caos, como algo sem solução, sem esperança, sem fé... É jogar fora todo o amor de Louisa. Veja o filme e entenda a minha frustração.



Já o filme Ferrugem e Osso, que também trata de um romance mostra uma construção rica e verdadeira de uma pessoa que adquire a deficiência física após um acidente. Vai mostrar a depressão, a adaptação, aceitação e novas possibilidades de vida. Não acabou. Há possibilidades. Há vida!



Feliz dia dos Namorados! Deixo abaixo uma linda poesia pessoal do meu amigo poeta Luiz Augusto que fala sobre construção familiar. 

O Cravo e a Rosa

Ainda um jovem cravo Uma rosa encontrei Com pétalas aveludadas Por ela me encantei
No j…