Pular para o conteúdo principal

Vôlei, a segunda potência do esporte.

 por Roberta Viana Fernandes

Imagem: Martin Boulanger
Olá, desta vez irei falar sobre um esporte que é considerado o segundo no Brasil em relação à popularidade, o Voleibol.
Com participação importante nas olimpíadas sempre trazendo muitas medalhas, o voleibol também é uma paixão nacional só perdendo espaço para o futebol.Talvez esse segundo lugar é reflexo da pouca visibilidade dos campeonatos nacionais em relação aos campeonatos de futebol.
Essa temporada 2016/2017 a federação brasileira de voleibol resolveu fazer os jogos em vários ginásios do Brasil, fazendo com que as pessoas das regiões onde nunca haviam visto um jogo de vôlei pudessem prestigiar o evento.
É impressionante como as pessoas adoram e possuem uma afeição com o jogo de vôlei, com os jogadores, com os treinadores. Como não citar Bernardinho, campeão olímpico, e que esse ano se aposentou da seleção brasileira e que agora só treina o time do Rio de Janeiro.Vencedor, espírito de guerreiro, Bernardinho contribuiu muito com a expansão do vôlei no Brasil e no mundo.
Os meios de comunicação deveriam fazer mais transmissões dos jogos, mas infelizmente isso não acontece, só admiramos o esporte quando é o jogo final de uma Super Liga ou nas olimpíadas.
Enfim, o Brasil poderia ser bem mais democrático em relação ao gosto do brasileiro pelos esportes de menos visibilidade, se o espaço televisivo fosse mais democrático, pois como gostar de algo que não conhecemos?
E nunca esqueça, a coragem só nos leva adiante.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Enfeites de Natal em potes, vasos e garrafas de vidro

Pra quem ama artesanato e enfeitar a casa para o Natal, a hora é agora. Deixo abaixo algumas dicas para fazer com taças, garrafas, potes e vasos de vidro: 


















TDAH: uma forma diferente de ver o mundo

Fernanda Santiago
O TDAH é um transtorno que inclui dificuldade de atenção, hiperatividade e impulsividade. Em geral, os sintomas começam na infância e podem persistir na vida adulta. Por ser um transtorno com característica genética, não tem cura. Porém, antes de rotular qualquer TDAH são pessoas que possuem inteligência e habilidades como as outras.  Achei este vídeo abaixo muito interessante. É muito difícil impor um padrão para o TDAH. Para os educares, seria muito bom prestar atenção na maneira que eles tentam se comunicar. O menininho do vídeo mostra grande interesse pela música. Será que os pais e os educadores estão preparados para perceber as habilidades e o interesse dessas crianças? Vale a pena conferir! Além disso, também há tratamentos através de medicamentos e da psicoterapia. 

Atypical, o que você precisa saber sobre o autismo

Fernanda Santiago Valente Você quer saber um pouco mais como é a vida de um garoto com o transtorno do espectro autista que está entrando na vida adulta? Para isso vale a pena assistir a série Atypical que está na Netflix desde o começo do mês de agosto. Não tem como não se apaixonar pelo personagem Sam, que está na fase de descobertas e quer arranjar uma namorada. É nessa busca pela paixão que se desenrola a história. Vamos entender como funciona a sua personalidade e como a situação afeta aqueles que estão ao seu redor. Algo muito interessante a se observar é a relação dele com a psicóloga. Sam se apaixona por ela. Isso é muito comum acontecer com paciente e profissional de sexos opostos, geralmente os pacientes que tem algum tipo de transtorno sempre se apaixonam por seus psicólogos.


Sam, apresentando os sintomas mais nítidos do espectro autista é um adolescente que tem sentimentos como qualquer outro. A única diferença é que seus sentimentos não são interpretados de forma comum. O ro…