Pular para o conteúdo principal

Judô é um esporte que ajuda na evolução e interação de pessoas especiais

Por Roberta Viana Fernandes
Imagem: Martini Leandro Augusto

Olá, desta vez falarei sobre a inclusão de crianças especiais no esporte, mais especificamente o judô.
Nos anos em que fiz estágio dando aulas de judô pela Prefeitura da Praia Grande, me deparei com dois alunos especias, um tinha Síndrome de Down e o outro tinha um grau leve de autismo.
Uma criança que possui Síndrome de Down tem ótima flexibilidade, fazendo com que os exercícios propostos sejam realizados com facilidade, já uma criança com autismo, dependendo do grau, possui grande dificuldade e requer atenção dobrada na hora da realização da atividade, pois sua musculatura é bem rígida e é necessário que a professora transmita de forma diferente a atividade para que haja um entendimento claro para esse aluno.
Imagem: Marta Judi

Em relação à essa minha experiência, no primeiro contato que tive com a mãe do aluno com Síndrome de Down foi bem tranquila, a mesma sempre estava presente nos treinos, pois o aluno era muito agitado e hiperativo, mas fazia todos os exercícios propostos de forma muito consciente e alegre. Já o aluno com autismo, a abordagem da mãe foi diferente, foi passado que o menino não falava, não obedecia e não iria aprender, que o mesmo só estava no esporte para se distrair. Só que para a surpresa da mãe e minha ,o aluno autista, já com os primeiros treinos podíamos ver a evolução. O menino aprendeu alguns exercícios de alongamento, aprendeu a fazer exercícios com parceiros, e o cumprimento do judô e o mais legal e interessante, aprendeu a contar em japonês.
Ao passar por essa experiência, pude ver que na maioria das vezes, quem tem filhos com necessidades especiais não possuem orientação sobre os problemas dos filhos, e muitas vezes, as próprias mães e familiares não acreditam em uma evolução do ente querido.
Mas com muita paciência e tranquilidade, dependendo do grau do problema, é possível sim uma transmissão de conhecimentos, no caso o esporte em questão, e pode-se ver nitidamente a evolução e aprendizado adquirido pelo aluno em questão.
E nunca esqueça, a coragem só nos leva adiante.

Comentários

Ótimo texto! É muito importante a inclusão das crianças especiais no esporte e também a conscientização dos pais e familiares.

Postagens mais visitadas deste blog

Os benefícios da caminhada

Fernanda Santiago
Existem inúmeras atividades físicas, mas a caminhada tem a menor taxa de abandono de todos eles. É simples e a mudança positiva que você pode fazer para efetivamente melhorar sua saúde cardíaca. Praticar a caminhada por pelo menos 30 minutos por dia pode ajudá-lo: Reduzir o risco de doença cardíaca coronáriaMelhorar a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangueMelhorar o perfil lipídico no sangueManter o peso corporal e diminuir o risco de obesidadeMelhorar o bem estar mentalReduzir o risco de osteoporoseReduzir o risco de câncer de mama e de cólonReduzir o risco de não insulino-dependente (tipo 2) diabetes

São muitos benefícios para uma atividade tão simples. Se você mora perto da praia, melhor ainda. Se não tem uma praia próxima, procure um parque.  Caminhe, respire fundo e aprecie tudo ao redor. O corpo agradece!

Terminou a folia!

Terminou a folia;  não tirei a fantasia;  só transmito alegria; nada de melancolia. Sou Palhaço! Meus nervos são de aço. com meus versos,  meus sentimentos disfarço.  Sou Palhaço! Com nariz avermelhado; sapato pontiagudo; roupa colorida: No picadeiro,  a platéia alegro;  não iludo - convenço. Assim, conduzo a vida sem perder o compasso... Sou Palhaço! Sou Palhaço! 
13/02/2018 Luiz Augusto da Silva Olimpia - São Paulo

A tradicional sopa de cebola francesa

Fernanda Santiago Valente Quem é que não gosta de uma sopa no tempo frio? Aqui no Brasil, muitos recomendam a sopa de cebola para quem está com dor de garganta ou gripado. Eu vou além. Amo todos os tipos de cremes e sopas, mas a de cebola tem um sabor especial. A sopa tradicional da cozinha parisiense merece toda a atenção.Algumas lendas da França afirmam que a sopa de cebola foi inventada por Louis XV, quando passavam por uma crise. Ele só tinha cebolas, manteiga e champanhe como alimentos, assim como toda a população de baixa renda. A receita ganhou novos temperos ao decorrer dos anos e conseguiu conquistar todo o mundo, principalmente nós brasileiros, pois amamos nos deliciar com uma sopinha nos períodos frios, não é mesmo? Ainda nas tradições parisienses, a sopa serve para alimentar também as emoções do dia do tão sonhado casamento. Eles tem o hábito de consumir a sopa após a festa. Isso se repete também em grandes eventos. Se por acaso acordarem de ressaca, também consomem a sopa,…