Pular para o conteúdo principal

Com perfil empreendedor, Geração Y representa potencial para franquias




Encontre Sua Viagem possui 60% de franqueados pertencente ao grupo

Muitos empresários investem no franchising pela segurança. Ou seja, acreditam que por ser algo já testado no mercado as chances de dar errado é menor. Teoria correta? Mais ou menos! As franquias funcionam como um casamento: é preciso dedicação de ambas as partes. As marcas oferecem suporte e respaldo, mas o franqueado também precisa se dedicar ao negócio.

A junção é a receita mais próxima do sucesso. Os números fortalecem a questão. Segundo dados da ABF, Associação Brasileira de Franchising, a taxa de mortalidade média das pequenas empresas no Brasil é de 85% nos primeiros 60 meses, já as franquias o equivalente a 4,3%.

Entre os variados perfis de investidores, diretores encontram uma boa desenvoltura nos jovens. Referência que se enquadra ainda na Geração Y. Pessoas nascidas de 1980 a 1990 - em plena era tecnológica – e que, segundo especialistas, apresentam grande desenvoltura, proatividade e força de vontade para correr atrás dos objetivos. São inquietos, querem crescer rápido na carreira, são especialistas em lidar com tecnologia, usam mídias sociais com facilidade, sabem trabalhar em rede e estão sempre conectados. Características que facilitam ainda mais o desenvolvimento do negócio próprio.

“Esse público, em específico, busca por oportunidades que dependam de suas ações para o crescimento e enxerga na chance de ter o próprio negócio o passo necessário para a conquista de sua independência financeira. Geralmente aposta em algo mais dinâmico por ser mais ativo”, traça o perfil, Henrique Mol, diretor executivo da Encontre Sua Viagem.

A franquia especializada em serviços turísticos atua no mercado com três tipos de modalidades: Home Office, Loja e Quiosque. Entre eles, o Home Office vem fazendo sucesso sobre do grupo citado acima. Mol justifica essa procura: “Além do respaldo que oferecemos, o valor de investimento (a partir R$3 mil) é mais acessível que uma estrutura pré-moldada, e as atividades podem ser iniciadas de forma mais rápida, segura e eficiente. A possibilidade desse investidor fazer seus próprios horários, é visualizado por eles como um diferencial muito positivo”, explicou Mol.

Demanda crescente por jovens

A marca possui 500 unidades espalhadas por todo o Brasil, atualmente 60% correspondem a investidores da Geração Y - número de interessados que vem aumentando consideravelmente a cada ano. Henrique conta que eles estão atentos ao mercado e não querem desperdiçar dinheiro com modelos ultrapassados. “E justamente por isso, estão sempre ligados às novas tecnologias. E nós fazemos um esforço para nos atualizarmos constantemente e corresponder a essa realidade”, explicou.

O diretor ressalta ainda que a boa ganância desses franqueados faz com que muitos se desenvolvam dentro no segmento. “Eles investem no modelo de Home Office e após algum tempo de trabalho, ampliam para as modalidades físicas da franquia. Eles sabem da necessidade de ir além e abrir as portas, criar oportunidades e fazer acontecer. E o mercado de turismo, por crescer muito, possibilita essa oportunidade”, falou Henrique.

Sobre a Encontre Sua Viagem
Sob o comando do empresário Henrique Mol, a Encontre Sua Viagem nasceu no final de 2011, em Belo Horizonte / MG. A franquia especializada em turismo, possui mais de mil parceiros, contemplando 150 mil opções de hotéis e cerca de 95% de todas as companhias aéreas do mundo. Tem atuação por todo o Brasil por meio de seus mais de 450 franqueados. Com três modelos de negócio – Loja Física, Quiosque e Home Office, a franquia oferece ao cliente desde passagens aéreas, a pacotes de viagens e locação de veículos. O negócio se encaixa no modelo de micro franquias e a partir R$3 mil já é possível se tornar um franqueado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Filme: A minha canção de Amor

Fernanda Santiago Valente
O roteiro do filme embora pareça um pouco descosturado, apresenta uma fiel mensagem sobre pessoas solitárias que se esbarram com alguma tragédia na vida. Os personagens centrais da história é Jane, uma cantora que ficou paraplégica após um acidente e Joey,  um amigo que conheceu numa clínica psiquiátrica, que apresenta um transtorno mental que pode ser classificado como a esquizofrenia, pois ouve vozes e vê anjos. A história mostra a não aceitação de Jane por estar nessa condição. Joey, embora perturbado, também foi afetado pelo transtorno após perder toda a sua família. Ele não escolheu isso. No entanto, esses dois solitários se atraem perante suas condições. Podemos sim admitir que deprimidos atraem deprimidos. O percorrer da história é todo um incentivo de Joey, que faz de tudo para que Jane volte a cantar e a se encontrar com o seu filho que acabou deixando para trás por falta de trabalho e recursos financeiros. Uma carta escondida de Jane, enviada por seu…

Renascer é aprender

Hoje mesmo com o céu nublado, o sol não está ofuscado.
Observo no jardim do meu quintal:
_ rosas vermelhas, lírios brancos, hortênsias e a coroa Imperial. 
Fico encantado pelo milagre da vida:
- benevolência divinal. 
Os pardais anunciam o amanhecer.
Este  espetáculo matinal indica que:
- em cada alvorecer há o renascer.
Que no teatro da vida, a verdadeira arte:
é a arte de saber viver.
Viver para aprender.

31/10/2011
Luiz Augusto da Silva

Obs: Shakespeare dizia, a vida é a única peça que não permite ensaios. Então, a arte da vida é viver! (Fernanda)

Obra infantil da brasileira Zia Stuhaug levanta a importância da educação e incentivo à leitura nas crianças

A doce obra “A galinha Suruca da Dona Georgina” conta uma história apaixonante e educativa sobre uma galinha da Angola que decide fugir de casa porque não quer ir à escola. Suruca chegou em um navio a vapor. Dona Georgina lhe deu casa, comida e muito amor. A galinha fez novos amigos e estava feliz com a nova vida, mas sua dona queria que ela estudasse e a matriculou na escola. Suruca não gosta nem um pouco disso e foge, mas problemas fazem parte de sua jornada. Será que ela conseguirá encontrar o caminho de volta para casa? Com ilustrações coloridas e atrativas, os pequenos leitores têm a chance de se deliciar com uma trama divertida, e ao mesmo tempo aprender uma lição indispensável: a importância do estudo. “Então, Dona Georgina comprou cadernos, lápis, apontador e um livro de aventura. Colocou tudo em uma mochila e, falando sem parar, entregou-a a Suruca. Dona Georgina não sabia ler nem escrever, mas fazia gosto que Suruca estudasse (p. 22) Zia Stuhaug, autora renomada, usa uma linguag…